2019 - Perfeitamente Imperfeito

quinta-feira, 31 de outubro de 2019

Feliz Dia das Bruxas!
outubro 31, 2019 2 Comments
Dia de colocar o chapéu bicudo, agarrar nas vassouras e esvoaçar por ai. Para as bruxas de todos os dias: fiquem de folga hoje e deixem-nos aproveitar um bocadinho. 


Reading Time:

domingo, 1 de setembro de 2019

setembro 01, 2019 4 Comments
 
A desejar ardentemente regressar aos dias de praia, leituras e risos sem fim.
 
 
Reading Time:

sábado, 3 de agosto de 2019

ROAD TRIP 2018 | Tramonti [Gibraltar, Reino Unido]
agosto 03, 2019 3 Comments

Chegámos a Gibraltar já pelas 17 horas. A nossa missão era fazer um reconhecimento do território, jantar e ver um pouco da cidade durante a noite. Por incrível que pareça, os hábitos locais são completamente diferentes do que estávamos habituados em Espanha e muitas das lojas já estavam a encerrar.

Fizemos uma breve caminhada, o Daniel iniciou a sua procura pelo íman de frigorífico perfeito, visitámos algumas lojas, cobiçámos produtos locais e, entretanto a barriga começou a dar horas.


A ideia era comer o tão típico fish and chips e decidimos sentar-nos num pub. Fofinho que só ele. Para mal dos nossos pecados, nenhum dos empregados parecia estar particularmente interessado em atender-nos. E, honestamente, eu não estava particularmente interessada em levantar-me. Decidimos ir embora.

A primeira tarde em Gibraltar não estava - de todo! - a correr como previsto. E, quando nada parece correr bem, temos sempre a reconfortante comida italiana para salvar a situação.

 

Tramonti chamou-me a atenção deste o primeiro momento, com as suas toalhas de quadrados brancos e vermelhos, a colorir a praça. 

Estando em Gibraltar, fizemos o pedido em inglês. A funcionária que recebeu o nosso pedido, fê-lo metade em inglês, metade em espanhol e verificou os pratos pedidos em italiano. Foi, sem dúvida, o pedido mais internacional de sempre.
  


Optámos por pedir uma salada de queijo de cabra e presunto. Queijo de cabra para mim e presunto para ele. Raviolis com cogumelos e espinafres - e o melhor molho de sempre! E uma lasanha que foi, de longe, o prato mais fraco.



A comida estava deliciosa - e era mesmo o que eu estava a precisar - mas o atendimento, apesar da simpatia deixou algo a desejar. Pedimos a salada para partilhar, no início da refeição, mas a salada veio com os outros pratos, e com o presunto já frios. E, no final da refeição, demoraram tanto a voltar à mesa que já nem pedimos sobremesa.


A conta, como é comum em Gibraltar, vem com a opção de pagar em libras ou em euros. O total da nossa conta foi cerca de 35 libras ou 56 euros. Pagámos com o meu cartão de crédito mas pedimos para pagar em libras. Resultado: o valor descontado na minha conta foi de 41 euros. Ou seja, menos quinze euros do que se tivesse pago em euros.

A minha opinião, tendo em conta o cenário atual libra-euro, é que paguem SEMPRE em libras. Podem utilizar o vosso cartão de crédito ou de débito normal, basta informarem que pretendem pagar em libras, e o vosso Banco trata da conversão.
 
Mais sobre a organização: O Destino Escolhido
 
 

Mais sobre Ronda: Café Las Campanas || Granier  || Ronda Juices || Alameda Del Tajo || Ponte Nova
Mais sobre Córdoba: La Tata || 4 Estaciones
Reading Time:

sexta-feira, 2 de agosto de 2019

agosto 02, 2019 2 Comments
 
Regressar aqui, e a vocês, é um sentimento parecido ao regressar a casa. Não importa quanto tempo estivemos fora, faz sempre sentido e é sempre o nosso espaço.

Reading Time:

quinta-feira, 1 de agosto de 2019

FOODIE | Italian Republic [Lisboa, Portugal]
agosto 01, 2019 2 Comments

Pelo andar da carruagem eu e o Daniel não vamos descansar enquanto não experimentarmos todas as opções gastronómicas disponíveis no Centro Comercial Colombo, em Lisboa. Desta vez o escolhido voltou a ser o Italian Republic mas, em vez de optarmos pelos hambúrgueres deliciosos que já conhecíamos, optámos por nos sentar no interior do restaurante e explorar a carta.

Para começar, o clássico de qualquer restaurante italiano: pão de alho. O pão de alho do Italian Republic é bastante fino e enriquecido com um fio de azeite e alecrim. 


Os meus níveis de gordice estavam em altas e decidi optar pelo peito de frango frito com molho de natas e cogumelos frescos, batatas assadas e salada. O prato não desiludiu e deu-me o conforto que precisava para enfrentar o resto do dia mas não é algo que me fará voltar, talvez por ser um prato que como com alguma frequência.


Já o Daniel optou por um risotto à bulhão pato, com ameijoas, camarão e espinafres salteados. Não posso testemunhar sobre a qualidade do prato visto que o camarão conjugado com a minha alergia iria resultar numa ida ao hospital mas o Daniel garante que entrou para o seu top de risotto. 

Apesar de ter gostado da refeição não é um local que me tenha marcado particularmente, no entanto o Daniel mal pode esperar por voltar e lambuzar-se novamente com o risotto à bulhão pato. 


Italian Republic Menu, Reviews, Photos, Location and Info - Zomato
Reading Time:

quarta-feira, 31 de julho de 2019

terça-feira, 30 de julho de 2019

ROAD TRIP 2018 | 4 Estaciones [Córdoba, Espanha]
julho 30, 2019 2 Comments


Na primeira tarde em Córdoba, o calor fez-se sentir a partir do momento em que abrimos a porta do carro. E, mesmo no final de Setembro, o calor era tanto que assim que chegámos ao Hotel Mariano CRIAR LINK, resolvemos almoçar no hotel, ligar o ar condicionado no quarto e descansar um pouco.

Afinal, era domingo e a maioria dos nossos pontos de interesse tinha encerrado às 14 horas. Os poucos que estavam abertos, encerravam entre as 20h e às 24h, portanto um pequeno descanso não iria ter grande impacto.




Às 17 horas julgámos que já era seguro enfrentar o calor Andaluz. Como nos enganámos! Mesmo ao final da tarde, o calor era sufocante e bastante desagradável. De tal forma que assim que vimos granizados à venda, parámos para comprar. Este foi o meu segundo erro.

Isto porque, junto à Torre de la Calahorra, perto da Ponto Romana, podem encontrar uma pequena roulotte que vende sumos naturais feitos com frutas e legumes biológicos. Que eu desconhecia…




Como já tinha o meu granizado, não comprei. Mas fiquei de olho na bancada recheada de frutas e legumes. E prometi a mim mesma regressar no dia seguinte. Ó único problema é que o dia seguinte era segunda-feira, dia de descanso para grande parte dos comerciantes em Espanha, e a minha roulotte não estava lá.

Regressei na terça, e nesse dia sim, consegui finalmente provar os sumos. Optei pelo sumo de melancia médio, a 2,50€, e apesar de puder estar mais fresco, estava delicioso.

A 4 Estaciones sugere-vos algumas combinações, com preços que variam entre os 2,20€ e os 4,50€, conforme o tamanho de copo escolhido. No entanto existem também sugestões especiais, como foi o caso do meu sumo de melancia, que tinha um preço ainda mais convidativo.


Mais sobre a organização: O Destino Escolhido
 
 


Mais sobre Córdoba: La Tata
Reading Time:

quinta-feira, 25 de julho de 2019

FOODIE | Taste of India [Lisboa, Portugal]
julho 25, 2019 4 Comments



Depois de um dia de compras que quase fez o meu cartão fumegar, foi obrigada a salvaguardar a minha relação e render-me aos pedidos do Charming para ir almoçar. Poderia ser ele a escolher, com uma única condição: que fosse um local onde nunca tivéssemos estado.



Depois de duas voltar à zona de restauração do Colombo, o eleito foi Taste of India. E, assim que cruzei a porta já levava a minha bebida em mente: Lassi de manga.

Lassi é uma bebida composta por iogurte, leite, açúcar, cardamomo e, neste caso, manga. É uma bebida doce, aveludada, fresca e, na minha opinião, ideal para acalmar o calor típico da comida indiana.

E sim, parece que estão a acompanhar a vossa refeição com uma sobremesa mas para mim funciona bastante bem.




Para entrada duas chamuças de carne perfeitas, sem dúvida as melhores que comi até hoje. Douradas, estaladiças e tão bem recheadas que só de pensar fico com vontade de regressar e comer apenas chamuças.

Como disse, eram perfeitas e não precisavam de qualquer acrescento. No entanto vinham acompanhada por quatro molhos que nos trouxeram um pouco mais dos sabores indianos. O favorito? Sem qualquer dúvida, o de menta.

  


Para prato principal optámos por frango Tandori - pedaços de frango temperados com iogurte, especiarias e gengibre e grelhados no tão típico Tandori - e Butter Chicken - pedaços de peito de frango em molho de manteiga, natas, cebola, açafrão e amêndoas.

Tenho a dizer que Butter Chicken é qualquer coisa de maravilhoso. Imagino-me a comer Butter Chicken durante toda a minha vida e a banhar-me gloriosamente naquele molho maravilhoso.

Mas, por mais maravilhoso que fosse o Butter Chicken, foi o arroz de especiarias que me deixou completamente apaixonada. Arroz, algo tão banal, e que foi completamente reinventado com em Taste of India.

Basicamente agora tenho como missão de vida encontrar as receitas perfeitas para o meu Butter Chicken e o meu arroz de especiarias.

Reading Time:

quarta-feira, 24 de julho de 2019

♥ Bebé do Meu Coração ♥
julho 24, 2019 3 Comments

Só há uma coisa melhor do que ter um Chip na minha coleção: é ter dois!
Reading Time:

terça-feira, 23 de julho de 2019

FOODIE | Café Na Fábrica [Lisboa, Portugal]
julho 23, 2019 3 Comments

 
Com as suas mesas e cadeiras desemparelhadas, o Café na Fábrica poderia bem ser a cozinha de qualquer avó adorável. Os pratos na parede, decoração vintage e acessórios aparentemente descoordenados criam um curioso ambiente em que é impossível não nos sentirmos à vontade.


 
 
Nesta visita a minha escolha recaiu sobre o menu do dia: sopa do dia, bacalhau à lagareiro com salada de tomate e mousse de morango. O preço é bastante convidativo e as doses suficientes para uma refeição satisfatória e para recarregar as baterias para enfrentar uma tarde de trabalho. Não foi a minha primeira visita e também não vai ser a última.  

 
Reading Time:

segunda-feira, 22 de julho de 2019

Mexe A Bunda Que É Segunda!

quinta-feira, 11 de julho de 2019

julho 11, 2019 3 Comments
Olhando com calma para esta lista percebo que a criei porque na realidade não queria mudar-me. E, para tentar tirar o máximo partido de uma situação menos agradável, tentei criar objetivos e fazer com que algumas das minhas coisas favoritas fizessem parte da minha rotina diária.
 
Tenho, inegavelmente, mais tempo livre. No entanto as coisas que queria fazer continuam em lista de espera. Continuo a querer fazê-las e tenho mais tempo, então porque continuo a adiar? A verdade é que continuo a ser eu. A querer carregar sozinha mais carga do que aquela que consigo e a tentar destacar-me nos mil e uns projetos em que me envolvo mas também a desperdiçar horas do meu dia em atividade inúteis e a carecer de mais método e organização.
 
O problema não é o tempo que temos. Nunca é. É a forma escolhemos utilizá-lo.
Reading Time:

quarta-feira, 10 de julho de 2019

terça-feira, 9 de julho de 2019

Cinco Coisas Que Pensei Que Iriam Acontecer Quando Vivesse Sozinha E Que Nunca Aconteceram
julho 09, 2019 2 Comments
1) Cozinhar as minhas receitas favoritas - A verdade é que ainda não descobri o prazer de cozinhar só para uma pessoa. No fim de semana, quando vou a casa, tento organizar as coisas de modo a que sobre sempre comida para levar para a semana seguinte. É verdade que nunca levo refeições para toda a semana mas consigo cozinhar apenas uma ou duas vezes. E quando o faço opto sempre por soluções práticas e rápidas.
 
2) Fazer exercício regularmente - Ahahahah. Agora que penso melhor nisto não consigo parar de rir! Até posso ter mais tempo livre, mas continuo a ser eu portanto… Não é mito provável que existam grandes mudanças neste campo.
 
3) Pintar - Regressar a um dos meus hobbies favoritos era algo que tinha planeado, e que não aconteceu nem uma única vez desde que mudei.
 
4) Atualizar o blogue diariamente - Tendo em conta a escassa atividade que tem existido por estas bandas, é melhor nem desenvolver este assunto.
 
5) Ler - Ler diariamente é algo que quero muito instalar como parte da minha rotina diária mas, infelizmente, é algo que não tenho conseguido fazer com sucesso. Começou bem, nos primeiros dias, mas acabei por perder o hábito quando a carga de trabalho começou a acumular.
 
 
 
Reading Time:

segunda-feira, 8 de julho de 2019

quarta-feira, 26 de junho de 2019

ROAD TRIP 2018 | La Tata [Córdoba, Espanha]
junho 26, 2019 3 Comments
 

La Tata foi uma feliz descoberta. No nosso último dia em Córdoba, depois de visitar o Alcázar de Los Reis Cristanos e o Palácio e Pátios de Viana, o calor de Córdoba começava a testar os nossos limites.

Com todo o cansaço acumulado, tudo o que queríamos era um local onde nos pudéssemos sentar, comer algo delicioso, beber algo fresco e aproveitar os últimos momentos numa cidade que se tornou uma das nossas favoritas.


Passámos na mesma rua que tínhamos passado todos os dias - várias vezes até - mas, desta vez, La Tata chamou-me a atenção.

O espaço era pequeno, com apenas quatro mesas no seu interior, mas era agradável. E, como inicialmente estava vazio,  espaço não nos faltou.


Resolvemos optar pelo menu para dois: três pratos para partilhar e duas bebidas para cada um ou uma garrafa de vinho para partilhar. Tudo por apenas 15€.
Nós escolhemos a salada Tata - atum, batata, feijão verde, tomate, ovo e cebola frita, bife de porco com batatas e um rabo de touro que foi comido antes de ser fotografado.



La Tata é um espaço simples e despretensioso, com comida caseira e um atendimento amigável - tal como o preço. Uma boa opção para quem quer recarregar baterias entre monumentos e museus.

Mais sobre a organização: O Destino Escolhido
 
 


Reading Time:

quarta-feira, 19 de junho de 2019

junho 19, 2019 5 Comments
 
Eu, à espera que algumas das pessoas à minha volta deixem de ser mesquinhas.
Reading Time:

domingo, 16 de junho de 2019

O Porquê da Ausência
junho 16, 2019 5 Comments
Em Fevereiro a minha vida mudou radicalmente.  A empresa manteve-se, mas o meu local de trabalho mudou e passei a trabalhar a mais de 100 km de casa. Ponderando o tempo de viagem, os horários imprevisíveis, um carro antigo e as despesas associadas, optei por ficar a viver, durante a semana, na cidade onde atualmente trabalho.
 
Não foi fácil. Sair de casa é o sonho de muitos mas não era, para já, o meu. Estaria a mentir se dissesse que nunca pensei em ter o meu espaço mas queria fazê-lo nos meus termos e quando eu entendesse. Basicamente fui "empurrada" para esta decisão, ainda por cima para uma cidade que não seria, de todo, a minha primeira escolha.
 
Agora saio do trabalho para um quarto silencioso. Não tenho os meus irmãos a parvar pela casa nem as gargalhadas da minha mãe. Agora as minhas tarefas no fim do dia resumem-se a jantar e lavar a minha loiça. Não tenho o meu namorado para me agarrar a mão quando eu mais preciso. Não tenho a miúda para ir levar aos treinos de karaté nem pilhas de roupa para lavar e estender. E é ridículo o quanto sinto a falta de tudo isso.
 
Basicamente, durante a semana não tenho mais nada em que pensar se não nas minhas necessidades. E tendo em conta que levo a maior parte das refeições previamente preparadas e todo a roupa arranjada, não tenho muito que fazer.
 
Primeiro pensei em tirar o melhor partido de uma situação inevitável e utilizar o tempo livre que teria da melhor forma. Iria finalmente voltar a atualizar o blogue diariamente, iria ler todos os livros que desejasse, colocar as minhas séries em dia, aprender italiano e melhorar o meu inglês e espanhol, dedicar-me às minhas aguarelas, concluir o meu curso de fotografia e continuar um projeto que iniciei com a minha mãe à alguns anos.
 
A verdade é que passaram quatro meses e pouco fiz… E não conseguia perceber porquê. Até que encontrei uma antiga colega que me perguntou como estava a correr toda esta mudança. Desde o momento em que respondi "Bem" que senti os olhos a encherem-se de lágrimas e, mais uma vez, não compreendi porquê. Até me permitir refletir sobre o assunto.
 
O trabalho é exigente, mas nada que não se consiga com esforço e dedicação. Os colegas receberam-me de braços abertos e o ambiente de trabalho é bom. Mas a distância e o facto de estar longe de todos aqueles que amo pesa mais do que qualquer outra coisa
 
Sou excelente a adaptar-me a novas situações e melhor ainda a bloquear o que não me agrada mas isso não me permitiu refletir nem perceber todo o impacto que esta mudança estava a ter em mim.
 
Agora que sei, preciso de encontrar a minha determinação para tirar o melhor partido de uma situação que, para já, não irá sofrer alterações.
 
Reading Time:

segunda-feira, 3 de junho de 2019

quinta-feira, 16 de maio de 2019

Três Semanas Com o Meu Irmão
maio 16, 2019 3 Comments
Não gosto de Nicholas Sparks. Pronto, já disse. Tragam as enxadas, as forquilhas e os camponeses enraivecidos. Mas, se me permitem, tenho a dizer que a culpa não é minha. A verdade é que me atraíram para Nicholas Sparks de uma forma ardilosa. "Se gosta de Nora Roberts vai adorar Nicholas Sparks." Claro que a minha cabecinha de engenheira começou logo a magicar: ora então se eu adoro Nora Roberts, vou amar Nicholas Sparks. Perfeitamente lógico… e irrealista. Fui à biblioteca, voltei para casa e refastelei-me com o meu novo livro para o que - pensava eu - iria ser uma longa noite de prazer literário. Enganei-me redondamente. Passado algum tempo estava a bocejar e foi a muito custo que o terminei. Não foi a melhor escolha - de todo - visto que nem me recordo do nome da obra, mas envolvia cartas, um amor antigo e um final de triste. E sim, eu sei, isso não reduz as possibilidades.
  
Três Semanas Com o Meu Irmão foi-me recomendado por uma amiga com tanta emoção que nem tive coragem para dizer que não gostava dos livros de Nicholas Sparks. E, depois de olharmos um para o outros com ar desconfiado durante vários dias, resolvi deitar-lhe a mão. E ainda bem que o fiz.
 
 Três Semanas Com o Meu Irmão relata uma viagem que os irmãos Sparks - Nicholas e Micah - fizeram à volta do mundo e entrelaça esses momentos com a vida passada do autor. Três Semanas Com o Meu Irmão veio confirmar algo que eu já desconfiava: para escrever assim, Nicholas Sparks teve que passar por muito na vida. Coisas que eu não desejaria a ninguém mas, muito provavelmente, o tornaram no autor que é hoje. Se poderia ter sido de outra forma? Talvez, mas foi assim que aconteceu e talvez este seja o primeiro livro a ler, quando se inicia a saga Nicholas Sparks.
 
Quanto a mim, ainda não estou convertida, mas estou suficientemente convencida para dar uma oportunidade a uma outra obra do autor.

Alguma recomendação?
 
Wook.pt - Três Semanas Com o Meu Irmão
Reading Time:
SOS, Séries!
maio 16, 2019 2 Comments

Eu, seriólica assumida, estou a passar por uma crise tal que, de momento, a única série que acompanho é Guerra dos Tronos. Tendo em conta que o último episódio é já na próxima segunda-feira, o meu futuro não se avizinha nada risonho...

O que recomendam?

Reading Time:

quarta-feira, 8 de maio de 2019

Ah, os dilemas da vida...
maio 08, 2019 5 Comments
Durante todo o dia sinto uma vontade avassaladora de chegar a casa e treinar. Curiosamente, assim que chego a casa e vejo a minha cama essa vontade desaparece automaticamente. Vão-se lá entender os mistérios da mente humana...


Reading Time:

sábado, 4 de maio de 2019

FOODIE || La Risotteria [Lisboa, Portugal]
maio 04, 2019 3 Comments



O final de 2018 brindou-nos com uma viagem inesperada a Lisboa e, como já vem a ser nosso costume, depois de passear durante a manhã pelas ruas lisboetas resolvemos dar uso à nossa subscrição Zomato Gold e experimentar um novo restaurante.

O escolhido foi La Risotteria, no número 265 da Rua Áurea, situa-se no primeiro andar de um hotel e foi uma agradável surpresa. A decoração natalícia tornava o espaço ainda mais bonito e recorreria na perfeição às cores de La Risotteria - o azul e o dourado.



O couvert era composto por um sortido de pão, manteiga de ervas, mousse de cogumelos - que poderiam fazer em quantidades industriais e enviar diretamente para minha casa - e azeitonas explosivas.



Como antipasti optámos por um carpaccio de novilho com espuma de pecorino e um caviar de pistachio. Se a espuma - cujo saber era fantástico - tivesse uma consistência que se assemelhasse realmente mais a espuma e o caviar de pistachio tivesse um sabor mais intenso, seria perfeito.




Para pratos principais optámos os dois por risotto e não faria sentido de outra forma tendo em conta o espaço onde estávamos. Para ele, um risotto com pancetta, foie gras e maçã verde. Para mim, um risotto de cogumelos e trufa. Embora fossem ambos deliciosos, tenho que confessar que desta vez foi o Daniel quem fez a melhor escolha.


Para terminar uma meringata com chocolate de cacau de São Tomé e Príncipe e chantilly de arroz. Os morangos completavam esta sobremesa que apenas nos deixou a desejar que fosse ligeiramente mais doce. 

Infelizmente tive a informação que La Risotteria se encontra encerrada. Resta-me esperar que seja algo temporário.

La Risotteria Menu, Reviews, Photos, Location and Info - Zomato
Reading Time:

@way2themes