Avançar para o conteúdo principal

Os Contos De Beedle O Bardo

Fotografia da minha autoria
 
Sempre que vejo um livro da autoria de J. K. Rowling, fico curiosa. É algo natural, que certamente está relacionado com toda a magia que senti ao crescer entre fotografias cujos ocupantes nunca permanecem muito tempo no mesmo lugar, palavras encantadas, varinhas mágicas e sapos de chocolate.
 
Cresci com o trio mais famoso do mundo, e o bem que isso me fez! Perdi-me de amores por um mundo desconhecido, assustei-me com a maldade natural de alguns e inspirei-me na coragem e sentido de justiça de outros.
  
Com uma coletânea de cinco contos, com pistas cruciais para a futura missão de Harry Potter e anotações de Albus Dumbledore, Os Contos de Beedle O Bardo trazem-nos um pouco mais do nosso tão querido mundo mágico, numa leitura leve e breve, que nos deixa com o sentimento de querer só mais um bocadinho.
 
Para mim, Os Contos de Beedle O Bardo ganharam um significado ainda mais especial por me terem sido oferecidos pela minha mãe, irmão e irmã, durante a nossa viagem ao Porto e, mais especificamente, na nossa visita à Livraria Lello. O amor é, realmente, a força mais poderosa de todas. Mas para descobrir isso não precisei de J.K. Rowling, bastou-me olhar para a minha família.
 
Quem mais leu Os Contos de Beedle O Bardo? O que acharam?
 

Comentários

  1. Confesso que não sou fã de Harry Potter, nunca li nem vi os filmes, esta temática não me fascina.

    ResponderEliminar
  2. Quero mesmo perder-me no mundo de Harry Potter! Este livro não conhecia, mas já me deixaste curiosa.
    «O amor é, realmente, a força mais poderosa de todas. Mas para descobrir isso não precisei de J.K. Rowling, bastou-me olhar para a minha família», tão lindo, tão verdadeiro *-*

    ResponderEliminar
  3. Eu sou uma desgraça ainda nem li Harry Potter. Tenho de começar urgentemente, tenho pena de não ter começado quando os livros saíram

    ResponderEliminar

Publicar um comentário

Mensagens populares deste blogue

Relacionamentos: É Amor ou Comodismo?

"O amor é a base de qualquer relacionamento."
Existem algumas certezas que sempre me acompanharam durante o meu crescimento. 
Uma delas, talvez uma daquelas em que acreditava com mais tenacidade, era que todos os relacionamentos se baseavam em amor.
Depois cresci, não muito confesso. Continuo a manter uma certa ingenuidade e a guardar com carinho muitos dos meus sonhos de menina mas, inevitavelmente, a vida acontece, e o mundo que inicialmente era a preto e branco, começa a ganhar diversos tons de cinza.
E, com muita tristeza minha, apercebi-me que a grande parte dos relacionamentos não tem por base o amor mas sim o comodismo. Quando ficamos por hábito, por não querer admitir que não resultou, por medo do desconhecido ou, simplesmente, porque não temos coragem de abrir o nosso coração ao desconhecido e tentar outra vez.
Existem avisos, sempre, mesmo quando queremos negar ou preferimos não encarar a dura verdade. Quando os gestos de carinho são inexistentes. Quando qualquer moment…

Mais de 1500.

Imagem de Deathtostock
Mais de 1500 publicações, 1507 se quisermos levar a precisão ao extremo. Mais de 1500 opiniões, parvoíces, textos, frases, imagens e idiotices.
Não posso dizer que estou surpreendida pelo número de publicações visto que, quando criei este blogue fi-lo com o objetivo de criar algo duradouro, algo que me acompanhasse, crescesse e evoluísse comigo. O que me surpreende são vocês. Vocês, que começaram a ler e gostaram. Vocês, que despendem de um pouco do vosso dia para apoiar, criticar ou dar a vossa opinião. Vocês, que continuam a voltar dia após dia mesmo quando as actualizações são raras. A todos vocês muito obrigado.

Decisões de Menina Crescida.

Tenho a oportunidade de me envolver numa empresa que me irá dar alguma estabilidade e, a longo prazo, uma carreira profissional sólida. No entanto é necessário realizar um investimento inicial que, neste caso, iria envolver todas as minhas economias. 
A verdade é que tenho algum receio. O que para a maioria das pessoas envolvidas no negócio pode ser um valor insignificante, para mim abrange praticamente a totalidade do capital que tenho disponível e não consigo deixar de me sentir insegura e algo ansiosa. Detesto a sensação de ficar financeiramente desprotegida, ainda que por pouco tempo.
Tenho que tomar uma decisão até dia 25 e espero decidir pelo melhor mas, muito honestamente, não faço a menor ideia do que devo fazer.