Avançar para o conteúdo principal

BAFTA 2017 | "Não levas nenhuma medalha mas até que estavas bem"

Queriam os piores? Nããã. Hoje vou mesmo deixar os piores para o fim porque, já diz o dito, quem ri por último ri melhor, e acreditem, à muito para rir. Já para celebrar não há assim tanto. Tenho cá para mim que as farpelas têm uma qualidade diretamente proporcional à qualidade dos filmes. De vez em quanto até aparecem uns bons, mas faltam aquelas que conquistam multidões, movem nações e conquistam um lugar eterno no nosso coração. 

(Photo: Getty Images Europe)

A Kate é a minha cutxie-cutxie. Elegante, bonita e simpática. Nunca me lembro de ter visto esta mulher mal vestida e apesar de  já a ter visto com escolhas muito mais glamourosas, este Alexander McQueen serve bem o seu propósito.
Além disso, é sempre gratificante ver alguém que conseguiu despender de uns minutinhos para dar um jeito ao cabelo.


(Photo: PA)


Zoe Ball em "Antes apagadita do que na lista dos trambolhos. É isso, Zoe. Não brilha... mas também não estraga. 



(Photo: WENN.com)

Uma pessoa sabe que os dias estão frios e que com o avançar da idade é necessário ter alguns cuidados adicionais mas porra, Meryl, era mesmo necessário pedir o casaco ao Cardinali!? 



(Photo: Rex Features)

A Daisy Ridley e o seu Roland Mouret não me conquistaram à primeira vista. Nem à segunda. Sinceramente ainda não me decidi quanto a esta escolha mas a cavalo dado não se olha o dente, e tendo em conta a miséria que pairava por aquelas bandas uma pessoa não pode ser muito esquisita.



Comentários

  1. Não são muito feios mas confesso que deixam muito a desejar ainda... Tou com medo de ver os piores!

    ResponderEliminar
  2. O William e a Kate são os meninos dos meus olhos. Adoro-os imenso!
    http://sunflowers-in-the-wind.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  3. opa.. so mesmo isto para me fazer rir!!
    obrigado!!
    bjos :)

    ResponderEliminar

Publicar um comentário

Mensagens populares deste blogue

Relacionamentos: É Amor ou Comodismo?

"O amor é a base de qualquer relacionamento." Existem algumas certezas que sempre me acompanharam durante o meu crescimento.  Uma delas, talvez uma daquelas em que acreditava com mais tenacidade, era que todos os relacionamentos se baseavam em amor. Depois cresci, não muito confesso. Continuo a manter uma certa ingenuidade e a guardar com carinho muitos dos meus sonhos de menina mas, inevitavelmente, a vida acontece, e o mundo que inicialmente era a preto e branco, começa a ganhar diversos tons de cinza. E, com muita tristeza minha, apercebi-me que a grande parte dos relacionamentos não tem por base o amor mas sim o comodismo. Quando ficamos por hábito, por não querer admitir que não resultou, por medo do desconhecido ou, simplesmente, porque não temos coragem de abrir o nosso coração ao desconhecido e tentar outra vez. Existem avisos, sempre, mesmo quando queremos negar ou preferimos não encarar a dura verdade.  Quando os gestos de carinho são inexistentes. Quando qualquer m

Mais de 1500.

Imagem de Deathtostock Mais de 1500 publicações, 1507 se quisermos levar a precisão ao extremo. Mais de 1500 opiniões, parvoíces, textos, frases, imagens e idiotices. Não posso dizer que estou surpreendida pelo número de publicações visto que, quando criei este blogue fi-lo com o objetivo de criar algo duradouro, algo que me acompanhasse, crescesse e evoluísse comigo. O que me surpreende são vocês. Vocês, que começaram a ler e gostaram. Vocês, que despendem de um pouco do vosso dia para apoiar, criticar ou dar a vossa opinião. Vocês, que continuam a voltar dia após dia mesmo quando as actualizações são raras. A todos vocês muito obrigado.

Decisões de Menina Crescida.

Tenho a oportunidade de me envolver numa empresa que me irá dar alguma estabilidade e, a longo prazo, uma carreira profissional sólida. No entanto é necessário realizar um investimento inicial que, neste caso, iria envolver todas as minhas economias.  A verdade é que tenho algum receio. O que para a maioria das pessoas envolvidas no negócio pode ser um valor insignificante, para mim abrange praticamente a totalidade do capital que tenho disponível e não consigo deixar de me sentir insegura e algo ansiosa. Detesto a sensação de ficar financeiramente desprotegida, ainda que por pouco tempo. Tenho que tomar uma decisão até dia 25 e espero decidir pelo melhor mas, muito honestamente, não faço a menor ideia do que devo fazer.