Avançar para o conteúdo principal

Dramas da vida.

Depois de umas mini-férias fabulosas a vontade de voltar à rotina casa - trabalho - faculdade - casa é praticamente nula. É interessante a rapidez com que nos habituámos à boa vida e a dificuldade que sentimos ao voltar à rotina e responsabilidades.

Comentários

  1. É mesmo verdade... Eu estive de férias, depois estive fora em trabalho e depois fim de semana grande! Hoje regressar ao escritório custou bastante!
    Boa semana :)

    ResponderEliminar
  2. Não me podia identificar mais com este post, tar a ser mesmo complicado voltar à rotina, estudar e meter tudo em "dia". Que chatice, estava mesmo bem de férias! Beijinho!

    ResponderEliminar
  3. Acho que é porque a passamos pouco tempo de boa vida, deviam ser mais dias quiçá meses LOL

    ResponderEliminar
  4. Amanhã começa novamente a rotina: escola-casa-escola-casa e eu só quero mais fériasss!

    ResponderEliminar
  5. Não podia estar mais de acordo!
    Não quero nada ir amanha para a escola, e voltar à rotina de acordar as 7 da manha para alem de não querer já não estou habituada e a prova é que estou aqui a comentar e são 1:35 da manhã
    Beijinhooos :*

    girlyworld4girls.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  6. Ai e que drama hoje credo :S

    ResponderEliminar
  7. Eu tive dez dias de férias e ontem estava deprimida por ter de regressar. Mas teve de ser.

    ResponderEliminar
  8. aiii a quem o dizes, estou a desesperar e mal começei de novo :'(

    ResponderEliminar
  9. Eu estive 4 dias em casa na Páscoa e soube-me pela vida! Quando tive de regressar à rotina habitual, custou taaaaanto!

    ResponderEliminar

Publicar um comentário

Mensagens populares deste blogue

Relacionamentos: É Amor ou Comodismo?

"O amor é a base de qualquer relacionamento."
Existem algumas certezas que sempre me acompanharam durante o meu crescimento. 
Uma delas, talvez uma daquelas em que acreditava com mais tenacidade, era que todos os relacionamentos se baseavam em amor.
Depois cresci, não muito confesso. Continuo a manter uma certa ingenuidade e a guardar com carinho muitos dos meus sonhos de menina mas, inevitavelmente, a vida acontece, e o mundo que inicialmente era a preto e branco, começa a ganhar diversos tons de cinza.
E, com muita tristeza minha, apercebi-me que a grande parte dos relacionamentos não tem por base o amor mas sim o comodismo. Quando ficamos por hábito, por não querer admitir que não resultou, por medo do desconhecido ou, simplesmente, porque não temos coragem de abrir o nosso coração ao desconhecido e tentar outra vez.
Existem avisos, sempre, mesmo quando queremos negar ou preferimos não encarar a dura verdade. Quando os gestos de carinho são inexistentes. Quando qualquer moment…

Mais de 1500.

Imagem de Deathtostock
Mais de 1500 publicações, 1507 se quisermos levar a precisão ao extremo. Mais de 1500 opiniões, parvoíces, textos, frases, imagens e idiotices.
Não posso dizer que estou surpreendida pelo número de publicações visto que, quando criei este blogue fi-lo com o objetivo de criar algo duradouro, algo que me acompanhasse, crescesse e evoluísse comigo. O que me surpreende são vocês. Vocês, que começaram a ler e gostaram. Vocês, que despendem de um pouco do vosso dia para apoiar, criticar ou dar a vossa opinião. Vocês, que continuam a voltar dia após dia mesmo quando as actualizações são raras. A todos vocês muito obrigado.

Decisões de Menina Crescida.

Tenho a oportunidade de me envolver numa empresa que me irá dar alguma estabilidade e, a longo prazo, uma carreira profissional sólida. No entanto é necessário realizar um investimento inicial que, neste caso, iria envolver todas as minhas economias. 
A verdade é que tenho algum receio. O que para a maioria das pessoas envolvidas no negócio pode ser um valor insignificante, para mim abrange praticamente a totalidade do capital que tenho disponível e não consigo deixar de me sentir insegura e algo ansiosa. Detesto a sensação de ficar financeiramente desprotegida, ainda que por pouco tempo.
Tenho que tomar uma decisão até dia 25 e espero decidir pelo melhor mas, muito honestamente, não faço a menor ideia do que devo fazer.