Avançar para o conteúdo principal

Só Estudante.

Desde que entrei para a faculdade, com 17 anos, que nunca fui só estudante. Sempre gostei da ser o mais independente possível e para mim isso passa por conseguir comprar as minhas coisas sem depender de terceiros.

Não foram poucas as vezes que ouvi "Que sorte teres estatuto de trabalhador-estudante. Assim podes faltar sempre que quiseres!". Pois... É verdade que tenho obrigatoriamente de perder imensas aulas - para terem uma noção este semestre ainda só consegui ir a duas! - e também é verdade que posso faltar sem assim o entender. No entanto, na grande maioria das vezes, gostava de ter um horário compatível com a faculdade, o que é praticamente impossível com um horário de trabalho a tempo inteiro.

Todos sabem que os trabalhadores- estudantes podem faltar sempre que é necessário - e sempre que querem - mas poucos imaginam a dificuldade que é conciliar um curso universitário com um trabalho a tempo inteiro. Poucos sabem que os dias começam sempre mais cedo e terminam sempre mais tarde. Pouco sabem dos almoços à pressa consumidos em frente ao computador da esperança de conseguir encaixar algum estudo na hora de almoço. Poucos sabem da dificuldade de ir para a faculdade assistir a uma aula depois de um dia de trabalho. Poucos sabem do esforço que é necessário para abrir os livros a uma sexta-feira à noite, quanto todo o que nos apetecia fazer era passar a noite no sofá a descansar de uma semana cheia de trabalho e assuntos exaustivos.

Se existem trabalhadores-estudantes que não se esforçam e abusam dos seus benefícios? Claro que sim. Assim como existem alunos que só estudante e mesmo assim faltam e não terminam as cadeiras. Existe de tudo mas acreditem, não é fácil conciliar.

Comentários

  1. deve ser mesmo complicado! conheço situações como a tua e é mesmo difícil ir às aulas!

    ResponderEliminar
  2. Só comecei a trabalhar depois de tirar a licenciatura. Nem me imagino ser capaz de conciliar as duas coisas, porque não conseguiria. Sem dúvida que é um teste à capacidade de uma pessoa.

    ResponderEliminar
  3. Concordo a 100% porque tamem sofro na pele isso e sofri, porque também sempre trabalhei, só no 1º ano é que não e é mesmoooo desgastante :((

    ResponderEliminar
  4. Sei bem do que falas, pois também trabalho e estudo à noite ..

    ResponderEliminar
  5. Sei bem do que falas, pois também trabalho e estudo à noite ..

    ResponderEliminar
  6. Tens toda a razão, eu não sou trabalhadora estudante, acho que ainda não tenho maturidade e destreza mental nem para fazer um part-time ao mesmo tempo que estudo, mas vejo por colegas minhas, já enfermeiras que é um desafio, e só fala assim dos "privilégios" do trabalhador estudante quem não está mesmo a ver a dificuldade que é conjugar tudo!

    Parabéns a ti, a sério :)

    ResponderEliminar
  7. Sei bem que muitos abusam, mas conheço 2 pessoas que têm uma situação igual à tua. Com umas agravantes... São casadas e têm ambas 2 filhos :/

    ResponderEliminar
  8. Eu também gostava de poder trabalhar, mas para mim é completamente impossível pois aqui perto não há nada e o tempo não estica. E tens razão no que disseste :)


    *Beijinhos*
    Caty<3
    http://myfairytale4.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  9. Acredito plenamente que seja bastante complicado de conciliar, eu em vez de trabalhar preferi fazer tudo logo de uma vez e nunca faltar a aula nenhuma para aproveitar ao máximo.

    ResponderEliminar
  10. É super complicado mesmo mas é preciso ter coragem :p

    ResponderEliminar
  11. hey there my dear :) cool post !its pretty!

    Visit my pages if you like and maybe you would like to follow each other? let me know and leave me your links aswell

    My Blog | Facebook | Bloglovin | Lookbook
    | Header I made for bloggers

    ResponderEliminar
  12. Acredito que seja mesmo muito complicado.

    ResponderEliminar

Publicar um comentário

Mensagens populares deste blogue

Mais de 1500.

Imagem de Deathtostock
Mais de 1500 publicações, 1507 se quisermos levar a precisão ao extremo. Mais de 1500 opiniões, parvoíces, textos, frases, imagens e idiotices.
Não posso dizer que estou surpreendida pelo número de publicações visto que, quando criei este blogue fi-lo com o objetivo de criar algo duradouro, algo que me acompanhasse, crescesse e evoluísse comigo. O que me surpreende são vocês. Vocês, que começaram a ler e gostaram. Vocês, que despendem de um pouco do vosso dia para apoiar, criticar ou dar a vossa opinião. Vocês, que continuam a voltar dia após dia mesmo quando as actualizações são raras. A todos vocês muito obrigado.

Relacionamentos: É Amor ou Comodismo?

"O amor é a base de qualquer relacionamento."
Existem algumas certezas que sempre me acompanharam durante o meu crescimento. 
Uma delas, talvez uma daquelas em que acreditava com mais tenacidade, era que todos os relacionamentos se baseavam em amor.
Depois cresci, não muito confesso. Continuo a manter uma certa ingenuidade e a guardar com carinho muitos dos meus sonhos de menina mas, inevitavelmente, a vida acontece, e o mundo que inicialmente era a preto e branco, começa a ganhar diversos tons de cinza.
E, com muita tristeza minha, apercebi-me que a grande parte dos relacionamentos não tem por base o amor mas sim o comodismo. Quando ficamos por hábito, por não querer admitir que não resultou, por medo do desconhecido ou, simplesmente, porque não temos coragem de abrir o nosso coração ao desconhecido e tentar outra vez.
Existem avisos, sempre, mesmo quando queremos negar ou preferimos não encarar a dura verdade. Quando os gestos de carinho são inexistentes. Quando qualquer moment…

Decisões de Menina Crescida.

Tenho a oportunidade de me envolver numa empresa que me irá dar alguma estabilidade e, a longo prazo, uma carreira profissional sólida. No entanto é necessário realizar um investimento inicial que, neste caso, iria envolver todas as minhas economias. 
A verdade é que tenho algum receio. O que para a maioria das pessoas envolvidas no negócio pode ser um valor insignificante, para mim abrange praticamente a totalidade do capital que tenho disponível e não consigo deixar de me sentir insegura e algo ansiosa. Detesto a sensação de ficar financeiramente desprotegida, ainda que por pouco tempo.
Tenho que tomar uma decisão até dia 25 e espero decidir pelo melhor mas, muito honestamente, não faço a menor ideia do que devo fazer.