Avançar para o conteúdo principal

Arrumações.

Ao dividir o quarto com a minha irmã a situação que mais surge é a questão da falta de espaço. Ela porque não tem espaço para a bonecada, eu porque não tenho espaço para os livros e mais trinta e uma mil justificações de cada uma de nós. Estamos numa onde - eu estou, ela vai por arrasto - de tornar o quarto num espaço mais amplo e livre portanto o primeiro passo é livrarmos-nos da tralha que não faz falta. Eu decidi atacar primeiro o roupeiro e entre as duas já reunimos mais de dez sacos de roupa que fomos doar. Para que estarem a ganhar pó se não são usados e certamente fazem muito falta algumas pessoas? 

Agora estamos a atacar os brinquedos. O mecanismo dela é simples, deixa tudo no meio do chão, vais buscar dois sacos e uma caixa. Limpa-os todos com um pano e depois selecciona. Os que quer guardar vão para a caixa, os que estão bons mas ela já não quer vão para um saco para serem posteriormente doados e os que estão estragados vão para o lixo. Adoro mesmo esta miúda.

💎

Comentários

  1. Muito bem :). Além da boa acção das duas, ficam com mais espaço livre no quarto :). Ainda há pouco tempo fiz algo semelhante :)

    ResponderEliminar
  2. É fantástico darem-se bem, assim ajuda :)

    ResponderEliminar
  3. Sim senhora!
    Que organizadas!
    No compromisso é que está a virtude! :)

    ResponderEliminar
  4. Eu uma vez também tive de partilhar o quarto com o meu irmão, mas como eramos mais novos (estava eu no 4º e ele no 7º) não ligámos muito ao espaço, era um pouco "como calhar"

    ResponderEliminar
  5. Para além de ajudarem os mais necessitados, terão mais espaço para se organizarem. Força com a iniciativa!
    Beijinhos,
    theinsideofvogue.blogspot.com

    ResponderEliminar
  6. É assim mesmo. Eu costumo fazer o mesmo. E para quê ter coisas a ocupar espaço quando as podemos doar e fazer alguém feliz :D

    ResponderEliminar

Publicar um comentário

Mensagens populares deste blogue

Relacionamentos: É Amor ou Comodismo?

"O amor é a base de qualquer relacionamento."
Existem algumas certezas que sempre me acompanharam durante o meu crescimento. 
Uma delas, talvez uma daquelas em que acreditava com mais tenacidade, era que todos os relacionamentos se baseavam em amor.
Depois cresci, não muito confesso. Continuo a manter uma certa ingenuidade e a guardar com carinho muitos dos meus sonhos de menina mas, inevitavelmente, a vida acontece, e o mundo que inicialmente era a preto e branco, começa a ganhar diversos tons de cinza.
E, com muita tristeza minha, apercebi-me que a grande parte dos relacionamentos não tem por base o amor mas sim o comodismo. Quando ficamos por hábito, por não querer admitir que não resultou, por medo do desconhecido ou, simplesmente, porque não temos coragem de abrir o nosso coração ao desconhecido e tentar outra vez.
Existem avisos, sempre, mesmo quando queremos negar ou preferimos não encarar a dura verdade. Quando os gestos de carinho são inexistentes. Quando qualquer moment…

Mais de 1500.

Imagem de Deathtostock
Mais de 1500 publicações, 1507 se quisermos levar a precisão ao extremo. Mais de 1500 opiniões, parvoíces, textos, frases, imagens e idiotices.
Não posso dizer que estou surpreendida pelo número de publicações visto que, quando criei este blogue fi-lo com o objetivo de criar algo duradouro, algo que me acompanhasse, crescesse e evoluísse comigo. O que me surpreende são vocês. Vocês, que começaram a ler e gostaram. Vocês, que despendem de um pouco do vosso dia para apoiar, criticar ou dar a vossa opinião. Vocês, que continuam a voltar dia após dia mesmo quando as actualizações são raras. A todos vocês muito obrigado.

Decisões de Menina Crescida.

Tenho a oportunidade de me envolver numa empresa que me irá dar alguma estabilidade e, a longo prazo, uma carreira profissional sólida. No entanto é necessário realizar um investimento inicial que, neste caso, iria envolver todas as minhas economias. 
A verdade é que tenho algum receio. O que para a maioria das pessoas envolvidas no negócio pode ser um valor insignificante, para mim abrange praticamente a totalidade do capital que tenho disponível e não consigo deixar de me sentir insegura e algo ansiosa. Detesto a sensação de ficar financeiramente desprotegida, ainda que por pouco tempo.
Tenho que tomar uma decisão até dia 25 e espero decidir pelo melhor mas, muito honestamente, não faço a menor ideia do que devo fazer.