Perfeitamente Imperfeito

terça-feira, 1 de junho de 2021

Massimo Bietti e um Feliz Dia da Criança!
junho 01, 20210 Comments

Pensei em várias formas de assinalar este dia que, devido à sua importância, não deve nunca passar em branco. Partilhar uma memória especial de infância, homenagear as crianças que adoro ou sugerir algumas atividade para fazer neste dia eram algumas das sugestões. 

Não sabia bem o que pretendia fazer mas, quando vi o trabalho do fotógrafo italiano Massimo Bietti fez todo o sentido. Massimo viaja pelo mundo e resgista imagens de crianças nos seus diferentes contextos. Desde grandes cidades a zonas remotas, todos os olhares cheios de promessas para o futuro têm uma história a contar e captaram imediatamente a minha atenção. 











Podem ver mais sobre o trabalho de Massimo Bietti aqui

Já conheciam o trabalho de Massimo Bietti? Qual a vossa fotografia favorita?
Reading Time:

domingo, 10 de janeiro de 2021

#MaisPortugal - O Regresso
janeiro 10, 20210 Comments

Photo by @markuswinkler

No ano passado um dos meus projetos foi a rúbrica #MaisPortugal. O #MaisPortugal tinha como objetivo apoiar os negócios, pessoas e projetos através da sua divulgação. E assim, que sabe, ajudar a atenuar um ponto dos efeitos catastróficos desta pandemia nas mais diversas indústrias e divulgar o que Portugal tem de melhor. 

A ideia que deu origem ao #MaisPortugal saiu do coração mas a falta de planeamento e dedicação da minha parte ditou que apenas fossem feitas 3 ou 4 publicações e não teve a continuidade que eu inicialmente pretendia. 

Agora, com um novo confinamento praticamente inevitável, julgo que faz todo o sentido ressuscitar o #MaisPortugal. O futuro é incerto, é verdade, mas não poderia existir melhor momento para arregaçarmos as mangas e divulgar o que Portugal tem de melhor.

Lembro-vos que mesmo que não seja possível contribuírem financeiramente para a continuidade destes negócios, existem sempre coisas que podem fazer, nomeadamente seguir nas redes sociais, deixar o vosso "like" e comentário, interagirem e divulgarem o que mais gostam. Não custa nada e usam apenas alguns segundos do vosso tempo que, para outras pessoas, pode ter um efeito gigantesco. 

Conto convosco nesta viagem?


Reading Time:

terça-feira, 5 de janeiro de 2021

O Seu A Seu Dono
janeiro 05, 20210 Comments

Algo que me tem incomodado um pouco nesta altura em que somo bombardeados com as retrospetivas anuais de meio mundo tem sido o facto de ver muita gente a gabar-se e a assumir o crédito por algo que não é seu. 

Ora bem, é verdade que se quisermos desenvolver um novo modelo de automóvel não vamos começar por inventar a roda. Vamos recolher conhecimento, e provavelmente inspirar-nos, em algo que já existe. E está tudo bem. É algo perfeitamente normal e, na minha opinião, muito inteligente e eficiente. 

Se alguém demorou 10 anos a desenvolver uma teoria ou modelo matemática, obviamente que iremos utilizá-lo, se tal nos for conveniente, e não passar 10 anos a fazer algo que já existe. Tudo certo. No entanto, existe uma linha entre a eficiência e inteligência e a apropriação do trabalho alheio e a mentira

Se estamos a utilizar o trabalho de alguém, por mais ínfima que seja contribuição, o autor merece o devido crédito. Não é uma opção, é um dever!

A Matriz de Eisenhower


Descobri esta matriz durante o ano de 2020, em uma formação no Atelier Digital da Google e tal não é o meu espanto quando percebo que é uma ferramenta de produtividade e priorização de tarefas desenvolvido por Eisenhower. Eisenhower foi o 34º presidente dos Estados Unidos da América e responsável pela execução e estratégia durante a Segunda Guerra Mundial!

No entanto parece que em 2020 todos os supostos coaches e mentores decidiram divulgar a Matriz de Eisenhower como se fosse a descoberta do século. Sendo que, claro, todos se esqueceram de mencionar que esta matriz tem um nome e um autor. Nunca, em todas as referências e utilizações que vi por parte de diversos coaches e mentores, vi referir o nome de Eisenhower. Esta ferramenta, muito útil por sinal, era sempre apresentada como se fosse um descoberta ou ferramenta desenvolvida pelo próprio. 

Confesso que faço parte do grupo que acha esta matriz muito útil e, como tal, também a partilhei aqui no blogue, mas sempre com os devidos créditos, nunca como se fosse algo que tivesse sido desenvolvido por mim, porque simplesmente não foi!

Saladas em Frasco


Ver alguém dizer que este ano "lançou" as saladas em frasco é só triste! A não ser que tenha vivido debaixo de uma pedra nos últimos anos - e duvido que alguém que trabalha maioritariamente no mundo digital o tenha feito - certamente que já tinha ouvido falar das saladas em frasco e definitivamente não foi algo que saiu da sua brilhante cabecinha. 

Infelizmente, não consigo atribuir o devido crédito a quem criou as saladas em frasco, mas quanto eu entrei na faculdade - corria o lindo ano de 2009 - já fazia saladas em frasco. Como tal, ou eu sou um prodígio visionário - opção que não me desagrada de todo - ou este conceito já existia. Seja qualquer for a opção correta, uma coisa é certa: não foram "lançadas" em 2020.

Mais Papista Que o Papa

Também não vamos cair no erro - que infelizmente também vi - de armar peixeirada por um calendário editorial. A não ser que o conteúdo tenha sido claramente copiado, existem milhões de calendários editoriais semanais, mensais, anuais... É só escolher!

Enfim, se usam o algo que não é vosso, por favor deixem o devido crédito. E também não se achem a última bolacha do pacote porque fizeram uma variação de algo que já existe aos milhões, ok? 

Este mundo tem espaço, conhecimento e sucesso para todos, não se andem a esgatanhar por meia dúzia de seguidores nem a colher os frutos do trabalho alheio. 



Reading Time:

sábado, 2 de janeiro de 2021

O Primeiro Dia do Ano
janeiro 02, 20211 Comments


Trouxe-me a realização do 5.º tesde de covid-19. Pior que o desconforto do teste, é mesmo o tempo que tenho que esperar pelo resultado.



Reading Time:

terça-feira, 22 de dezembro de 2020

segunda-feira, 21 de dezembro de 2020

O Melhor Presente de Natal
dezembro 21, 20201 Comments

Este ano quando me perguntaram o que queria como presente de Natal tive sempre muita dificuldade em responder. Não somos ricos, vivemos do nosso trabalho - como a maioria dos portugueses - não temos "dinheiro de família" ou imóveis arrendadas mas felizmente posso dizer que tenho tudo o que preciso. 

Gratidão

Tenho as pessoas que amo - alguns mais longe do que gostaria, devido às particularidades deste ano -, tenho comida na mesa, um teto sobre a cabeça, água canalizada, luz elétrica, um sofá novo - acreditem, este sacaninha merece destaque -, dois gatos que só querem mimos e duas cadelas completamente doidas.

Divido a roupa com a minha mãe e irmã mais novas portanto, mesmo que uma de nós não tenha, provavelmente alguém terá. 

Além de tudo isso, estou numa fase de destralhar. É impressionante a quantidade de coisas que acumulamos e que, mesmo sem nos apercebermos, nos vai complicando a vida. Será que precisamos mesmo de quatro pijamas polares, por exemplo? E que sentido faz guardar algum que já não usamos desde que estávamos no secundário? 

Sou grata por tudo e realmente não preciso de nada portanto os meus pedidos para presente de Natal foram: sobacha - que o meu irmão me vai oferecer contrariado porque diz que é estúpido oferecer-me chá, uma consulta no oftalmologista e uns óculos novos - corria o ano de 2009 quando fui à minha última consulta e isso é assustador, e livros. 

"After all this time? Always?"

Um deles é um completo capricho. Uma história que conhece de trás para a frente e que continua a apaixonar-me. Pensei que não seria nada de espetacular mas desde que o folheei no Continente que passou para a lista das próximas aquisições.

Falo da nova edição de capa dura de Harry Potter e a Pedra Filosofal. Tem ilustrações, o que já não é novidade depois das edições ilustradas, mas aqui voltámos ao formato de livro "normal" e abandonámos o formato maxi das edições ilustradas. 

No entanto não são as ilustrações que o distinguem - nem faria sentido se assim fosse. É a sua - e não encontro melhor palavra - interatividade. Do que folheie no Continente vi desdobráveis e alguns segredos escondidos que mal posso esperar por explorar assim que tiver o meu exemplar nas mãos. 

Posso estar a ser precipitada, mas parece-me que este será mesmo o melhor presente de Natal. 





Reading Time:

sábado, 19 de dezembro de 2020

O Natal a Chegar...
dezembro 19, 2020 3 Comments

 


... e eu a panicar porque os presentes que encomendei teimam em não chegar!

Reading Time:

@way2themes