Roteiro de 1 dia em Aracena


Aracena é um município de Huelva, localizado na serra com a qual partilha o nome. A cerca de 60 quilómetros da fronteira portuguesa, Aracena torna-se ideal para um fim-de-semana diferente ou para iniciar, ou terminar, uma road trip por terras de nuestros hermanos.

Aracena foi a primeira paragem da nossa primeira road trip por Andaluzia. Pouco sabia sobre o município, apenas tinha uma certeza: queria visitar a Grutas das Maravilhas. Mas vamos ao que interessa: como podem aproveitar da melhor forma as vossas 24 horas em Aracena. 

24 Horas São Suficientes?

Uma das coisas que oiço com mais frequência é que 24 horas não são suficientes para conhecer uma cidade. Têm toda a razão. Moro em Évora há 28 anos e, felizmente, ainda descubro coisas novas. Mas certamente que 24 horas a explorar uma nova cidade serão 24 horas muito mais bem passados do que em frente à televisão e sem sair do sofá. 

Entre viajar pouco ou não viajar, a minha escolha será sempre viajar pouco mas, no caso, de Aracena, arrisco-me mesmo a dizer que 24 horas são suficientes.

Dica do pequeno-almoço

Nos dias de viagem entre uma cidade e outra, paramos sempre no caminho ou, se estiver incluído, tomámos o pequeno-almoço no alojamento. Desta forma chegámos à nova cidade já de barriguinha cheia e não perdemos tempo a procurar cafés ou pastelarias - pelo menos para já. 

A Gruta das Maravilhas

Começamos o nosso dia com aquilo que queríamos realmente ver: a Gruta das Maravilhas. O bilhete é comprado no lado oposto à entrada na gruta e, quando fomos, podiam optar por comprar apenas o bilhete para a Gruta das Maravilhas ou um bilhete que incluía a Gruta das Maravilhas, o Castelo de Aracena e o Museu do Presunto. A diferença de preço era praticamente irrisória e como queríamos explorar mais a cidade optámos pelo bilhete combinado. Infelizmente perdi o meu bloco de notas e não consigo precisar o preço, mas recordo-me que os dois bilhetes rondaram os 20€.

A visita é feita em grupo, com um guia que nos explica tudo de forma tão divertida e leve que a hora passa a correr. O nome escolhido para esta gruta não poderia ser mais apropriado. O espaço é magnífico e de uma beleza quase surreal. Pessoalmente não gosto de estar em espaços apertados ou de me sentir encurralada, e se o ar for pesado e começar a sentir dificuldades em respirar começo a ficar bastante incomodada. Na Gruta das Maravilhas não vão ter que se preocupar com isso. O ar, mesmo em Agosto, é fresco e bastante agradável, pelo menos de manhã.

Infelizmente não é possível fotografar no interior da Gruta mas à entrada existe um fotógrafo que vos tira uma fotografia que podem adquirir no final da visita. 

Gruta de las Maravillas (Aracena) - ATUALIZADO 2020 O que saber ...
Nota: Dada a impossibilidade de fotografar na gruta, esta fotografia não é da minha autoria.

Lojas de Artesanato

Ao saírem da gruta, e depois de comprarem a vossa fotografia - recomendo muito ficarem com uma recordação deste espaço magnífico - tirem um bocadinho para percorrer as adoráveis lojas de artesanato que se encontram mesmo ao pé da gruta. 

Para além das peças de artesanato, encontram também alguns patés e doces que podem levar para degustar em casa. 

O almoço

Nós optamos por continuar a descer a rua da Gruta das Maravilhas e optámos por almoçar logo num dos restaurantes ao final da rua. Não vou recomendar nem referir o nome porque não fiquei fã e achei o preço algo elevado tendo em conta os pratos pedidos.



Depois de almoço podem aproveitar para se instalarem. Nós ficámos no Hotel La Era de Aracena, que recomendo vivamente. Perfeitamente integrado numa paisagem de sonho, calmo e com um restaurante que nos permite jantar no hotel e descansar depois de um dia cansativo.

Depois de almoço, e consoante a temperatura porque o calor de Andaluzia é duro, podem optar por um mergulho na piscina ou por explorar alguns trilhos. 



Castillo de Aracena, Iglesia Prior de Nuestra Señora del Mayor Dolor e Museo del Jámon

Depois do mergulho da piscina - ou de uma caminhada para os mais dinâmicos - está na altura de continuar a explorar. 

Deixámos o carro no centro da cidade, e subimos a pé até ao Castelo. Sou um panda assumido e reclamei trezentas mil vezes pelo caminho mas é uma caminhada bastante fácil e agradável. 


Ao chegar ao Castelo não tínhamos mais ninguém pelo que tivemos uma visita privada com um guia também muito simpático. Ou foi sorte, ou em Aracena os guias são realmente dedicados e com muita paixão pelo que fazem. 

Infelizmente a Igreja estava fechada, mas valeu a pena só pela vista. Descemos até ao Museo del Jámon e fomos brindados com uma chuva torrencial que nos deixou molhados até aos ossos. 


O Museo del Jámon é um edifício moderno com uma exposição que retrata um dos produtos estrelas da região: o jámon. Existe um orgulho visível nas tradições, mas não existem paninhos quentes nem meias verdades e, curiosamente, foi neste Museo que comecei a considerar mais seriamente ser vegetariana. 

Encerradas as visitas, e se forem prosseguir viagem no dia seguinte, aconselho a que retornem ao Hotel e jantem lá para que possam recuperar energias. Se estiverem com as baterias carregadas, vale sempre a pena explorar mais um pouco e, quem sabe, depois vêm aqui partilhar as vossas dicas comigo. 

Quem já conhece Aracena? Têm algumas dicas que queiram partilhar?



Booking.com

Comentários

  1. Não conhecia, mas sinto que seria muito feliz a explorar Aracena *-*

    ResponderEliminar
  2. Quanto mais leio os teus textos sobre a tua tour por Espanha e vejo as imagens, mais curiosidade tenho de ir explorar o país.

    ResponderEliminar

Publicar um comentário