ROAD TRIP ANDALUZIA EST || DAY 2 - Frigiliana e Almería


Depois de uma noite bem dormida, o segundo dia da nossa road trip começou cedo. Tomámos o pequeno-almoço no nosso alojamento, fizemos o check-out e voltámos à estrada. A próxima cidade-base seria Almeria, no entanto não resistimos e planeámos uma paragem em Frigiliana. 

Enquanto na road trip anterior levava tudo planeado, esta road trip destacou-se pela falta de planeamento. Frigiliana foi escolhida apenas com base em fotografias. Tal como Setenil, achámos que tinha um encanto muito particular e não resistimos. No entanto, por mais bonita que seja, tenho a dizer-vos que, pelo menos naquele dia, estava tão quente com o centro do Inferno. 

Subir e descer pelas suas ruas é deveras encantador, mesmo quando o suor escorre pelas costas qual Cataratas de Niagara. 



Tanto em Setenil como em Frigiliana achei que estavam muitas coisas fechadas. Já estávamos familiarizados com a hora de la siesta mas a verdade é que em todas as cidades espanholas que já visitámos - e já foram algumas - nunca sentimos muito o impacto dessa questão no turismo. Frigiliana foi, para nós, a cidade onde mais sentimos o impacto negativo desse hábito. Se por um lado é perfeitamente compreensível devido ao calor que se faz sentir, por outro é chato para quem tem um tempo limitado na cidade e quer aproveitar ao máximo.
E a situação piorou ligeiramente quando começamos a procurar um local para almoçar. O Daniel é o melhor companheiro de viagem que poderia ter, mas quando começa a ficar com fome... É completamente impossível, juro! Chega a um pouco em que já nem lhe interessa o que vai comer ou o preço, só quer comer e pronto.
Depois de mais um pouco a andar, descobrimos um local pequeno, no exterior, mas com uma vista de cortar a respiração. Optámos por um sortido de tapas - sou só a maior fã do conceito - e tivemos uma refeição bastante agradável. 


No caminho de regresso ao carro, reparei numa criança que se afastou da mãe para espreitar uma montra e ia sendo atropelada. Consegui desviar o menino a tempo e fiquei de mão dada com ele porque estava mesmo desorientado por não achar a mãe. Entretanto vimos a mãe da criança e tudo correu pelo melhor, mas fiquei de coração apertado ao ver, em primeira mão, como seria fácil alguém mal intencionado aproveitar-se da situação e levar a criança.
Antes de chegar ao carro, um senhor já com alguma idade vendia mangas à entrada da sua casa. Deu-me a provar e juro que foi a melhor manga que comi na minha vida. Trouxe mais duas comigo e uma certeza: as melhores mangas do mundo são as de Frigiliana. 
Regressámos à estrada desta vez para uma breve viagem até Almería. A primeira impressão da cidade até foi positiva, mas quanto mais explorava, menos gostava. É uma cidade muito industrial, com poucas atrações turísticas e as que existem são muito dispersas, e bastante pobreza que, honestamente, é algo que me incomoda bastante. 
Passeámos um pouco, fomos à beira-mar colocar os pés na areia negra e, pela primeira vez, no mar Mediterrâneo. Voltámos ao Hotel Embajador, descansámos um pouco, saímos para um Kebab - com o dono mais simpático de sempre - e regressámos à base. Mal podíamos esperar pelo dia seguinte.


Mais sobre a ROAD TRIP ANDALUZIA EST: Day 1 - Ronda e Setenil de las Bodegas

Comentários

  1. Fiquei com muita vontade de visitar Frigiliana :)
    Que situação! Não deve ter valido para o susto, credo. E o pior é como tu dizes, se fosse uma pessoa mal intencionada, bem que o desfecho poderia ter sido outro.

    ResponderEliminar
  2. Deve ser realmente bonito, dá vontade de ir já.

    ResponderEliminar

Publicar um comentário