Três Semanas Com o Meu Irmão

Não gosto de Nicholas Sparks. Pronto, já disse. Tragam as enxadas, as forquilhas e os camponeses enraivecidos. Mas, se me permitem, tenho a dizer que a culpa não é minha. A verdade é que me atraíram para Nicholas Sparks de uma forma ardilosa. "Se gosta de Nora Roberts vai adorar Nicholas Sparks." Claro que a minha cabecinha de engenheira começou logo a magicar: ora então se eu adoro Nora Roberts, vou amar Nicholas Sparks. Perfeitamente lógico… e irrealista. Fui à biblioteca, voltei para casa e refastelei-me com o meu novo livro para o que - pensava eu - iria ser uma longa noite de prazer literário. Enganei-me redondamente. Passado algum tempo estava a bocejar e foi a muito custo que o terminei. Não foi a melhor escolha - de todo - visto que nem me recordo do nome da obra, mas envolvia cartas, um amor antigo e um final de triste. E sim, eu sei, isso não reduz as possibilidades.
  
Três Semanas Com o Meu Irmão foi-me recomendado por uma amiga com tanta emoção que nem tive coragem para dizer que não gostava dos livros de Nicholas Sparks. E, depois de olharmos um para o outros com ar desconfiado durante vários dias, resolvi deitar-lhe a mão. E ainda bem que o fiz.
 
 Três Semanas Com o Meu Irmão relata uma viagem que os irmãos Sparks - Nicholas e Micah - fizeram à volta do mundo e entrelaça esses momentos com a vida passada do autor. Três Semanas Com o Meu Irmão veio confirmar algo que eu já desconfiava: para escrever assim, Nicholas Sparks teve que passar por muito na vida. Coisas que eu não desejaria a ninguém mas, muito provavelmente, o tornaram no autor que é hoje. Se poderia ter sido de outra forma? Talvez, mas foi assim que aconteceu e talvez este seja o primeiro livro a ler, quando se inicia a saga Nicholas Sparks.
 
Quanto a mim, ainda não estou convertida, mas estou suficientemente convencida para dar uma oportunidade a uma outra obra do autor.

Alguma recomendação?
 
Wook.pt - Três Semanas Com o Meu Irmão

Comentários

Publicar um comentário