Outubro 2018 - Perfeitamente Imperfeito

segunda-feira, 29 de outubro de 2018

ROAD TRIP 2018 | Hostal Arias [Sevilha, Espanha]
outubro 29, 2018 2 Comments
 
O Hostal Arias localiza-se bem no coração de Sevilha, a meia dúzia de passos do Alcazár De Los Reis, o meu local favorito em toda a cidade. Ao contrário do que aconteceu nos outros locais, neste caso os imprevistos começaram ainda antes de termos chegado.
 
Como levámos o carro do Daniel, as nossas escolhas de alojamento baseavam-se sempre em três fatores: localização, relação preço-qualidade e estacionamento. No dia seguinte à reserva recebemos uma mensagem que informava que a garagem estaria em obras e, como tal, não estava disponível. Enviaram-nos algumas sugestões de estacionamentos - que não conseguimos localizar - e acabámos por estacionar demasiado longe do alojamento.
 
O quarto era demasiado pequeno e a limpeza na casa de banho deixava um pouco a desejar. O ar-condicionado de pouco serviu e acabámos por desliga-lo e abrir a janela. E, acreditem, tendo em conta o calor sufocante de Sevilha, não foi uma escolha que feita de ânimo leve.
 
 A cama tinha apenas uma almofada retangular enorme, da largura da cama, o que não permitia grandes manobras visto que estávamos a dividir a mesma almofada.
 
Não chegámos a perceber se a televisão funcionava pois o comando tinha que ser solicitado na receção (?!) e sempre que subíamos, esquecíamo-nos. Já o elevador, avariou durante a nossa estadia o que implicou descer aquelas escadas pequenas com dois malões enormes
 
O staff era simpático mas dificilmente voltava a ficar no Hostal Arias.
 
 
 
Reading Time:
Mexe A Bunda Que É Segunda
outubro 29, 2018 3 Comments
Fotografia de Alexander Braken
 
Porque por vezes tudo o que precisamos é de alguém que também acredite em nós.
 
Boa semana!
Reading Time:

domingo, 28 de outubro de 2018

ROAD TRIP 2018 | SLICE [Sevilha, Espanha]
outubro 28, 20181 Comments
 
O dia que passámos em Sevilha não foi, definitivamente, o nosso dia. Depois do almoço o calor deixou-me muito impaciente e irritadiça e, no final do dia, o Daniel não aguentou mais o mal-estar.
 
No entanto, antes de darmos o dia por encerrado, percorremos, sem rumo, as ruas de Sevilha. Foi nesse passeio que encontramos a SLICE, uma pizzaria que promete a autêntica pizza nova iorquina. Nunca estive em Nova Iorque, nem provei a autêntica pizza nova iorquina, portanto não posso garantir a semelhança. Só posso garantir que é, realmente, uma boa pizza, com massa fina, e as fatias são bastante generosas.


O Daniel escolheu a pizza vegetariana e partilhámos uma fatia e três garlic knots. Os garlic knots são, como o nome indica, uma espécie de nó, feito com a massa da pizza, alho e queijo em pó. Nunca tinha experimentado garlic knots, e foram uma surpresa bastante simpática nesta refeição e, para mim, seriam perfeitos se tivessem queijo derretido no seu interior. O preço também é bastante simpático e, com apenas 1 euro, levam três garlic knots.
 
O espaço é igualmente agradável mas sem qualquer mesa no interior sendo, principalmente, um espaço para take-away ou para uma refeição rápida ao balcão. Mas não desesperem, caros companheiros de preguiça e turistas de pernas cansadas, no exterior existem duas pequenas mesas para que possam consumir a vossa refeição e descansar o fofo. No entanto, se esperam conseguir uma mesa, o meu conselho é que vão cedo pois são apenas duas e muito concorridas.
 
A SLICE é uma excelente aposta para uma refeição rápida e para saciar algum desejo repentino de fast-food no entanto, não é o lugar que devem visitar se procuram a típica comida andaluz.
 
Fotografias da minha autoria.
 

Morada: Calle Alemanes, 13, 41004 Sevilla, Espanha

Reading Time:

sexta-feira, 26 de outubro de 2018

Em Contagem Decrescente.
outubro 26, 2018 3 Comments
Fotografia de Lydia Nada
 
Falta precisamente um mês para o meu próximo aniversário!

Reading Time:

quinta-feira, 25 de outubro de 2018

FOODIE | Frankie Saldanha
outubro 25, 20181 Comments
 
Depois da primeira visita ao Frankie Saldanha, o trio voltou a reunir-se e decidimos regressar. Desta vez, já com mais apetite, voltei a reencontrar-me com o cachorro da minha vida: o Pizza Dog. O Pizza Dog é, como o próprio nome indica, a junção de duas pequenas maravilhas deste mundo: pizza e hot dog.
 
 
Conheci esta pequena maravilha de tomate, mozarela, peperoni, azeitonas pretas e óregãos no Campo Grande, quando foi Cachorro do Mês, e não podia ter ficado mais feliz por voltar a encontrá-lo. Não resisti. E a minha vontade de ferro de experimentar um cachorro novo foi por água à baixo. Juro que é na próxima visita!
 No entanto, como ia decidida a experimentar algo novo, traí as batatas Frankie - as minhas favoritas até à data - e pedi as batatas Texanas. Não se deixem enganar, estas batatas não são um típico acompanhamento. São praticamente uma refeição!

 
 
De forma muito simplista: o prato é cheio com batatas fritas e coberto por uma generosa quantidade de chili, queijo cheddar e orégãos. Basicamente, é como se o estado do Texas e Portugal tivessem tido um filho. E que rico menino! A vossa boca vai pegar fogo e os vossos lábios vão inchar… mas vocês não vão conseguir parar de comer!
 
Mal posso esperar por regressar ao Frankie Saldanha e, quem sabe, talvez na terceira vez tenha oportunidade de fotografar aquele espaço e decoração maravilhosos.
 
Fotografias da minha autoria.
 
Frankie Hot Dogs Menu, Reviews, Photos, Location and Info - Zomato
 
Reading Time:

quarta-feira, 24 de outubro de 2018

Festa do Cinema 2018
outubro 24, 2018 3 Comments
 
 
Último dia para aproveitar as sessões de cinema a 2,50€, nos Cinemas NOS.
 
Têm algum filme em vista?
Reading Time:

terça-feira, 23 de outubro de 2018

Bem-vindo, Vasco!

segunda-feira, 22 de outubro de 2018

ROAD TRIP 2018 | MilaGritos [Sevilha, Espanha]
outubro 22, 2018 2 Comments
 
 

Descobrimos o MilaGritos de forma completamente aleatória, no nosso segundo e último dia em Sevilha. Estava na hora de deixar Sevilha e seguir rumo à nossa próxima paragem mas o tempo em Sevilha soube a pouco e, depois da visita ao Real Alcázar de Sevilha, precisávamos urgentemente de recarregar baterias.

 

O menu do dia tinha o valor de 12,50€ por pessoa e incluía primeiro prato, segundo prato, sobremesa, bebida e pão. Um verdadeiro achado!

 
Como já é nosso hábito, pedimos sempre pratos diferentes. Assim experimentamos sabores diferentes e, caso um dos pratos seja uma completa desgraça, pelo menos não ficamos a chorar com fome. Basicamente é a nossa técnica de sobrevivência.  
 
 Eu pedi uma salada com salmão marinado, molho de iogurte e sorvete de maçã verde que era, não só a melhor salada que comi durante a viagem, mas a melhor salada que comi em toda a minha vida! Aquela salada era a perfeição no prato e os cubos de salmão perfeitamente marinhados faziam um contraste delicioso com o molho de iogurte. Já o sorvete de maçã verde foi a surpresa inesperada que fez todo o prato tornar-se memorável.
 

 

Enquanto eu fui brindada com a melhor salada de todos os tempos, o Daniel optou por uma segura salada russa. Salada essa que estava boa, é certo, mas em nada se comparava com a minha maravilha gastronómica.
 
E, por favor, sintam-se à vontade para comparar os dois pratos e gozarem com o Daniel. Não que seja uma competição… Mas eu ganhei!



 
Para segundo prato, eu optei por umas lulas grelhadas com molho de citrinos, e o Daniel por um strogonoff de frango com cogumelos e couscous. E, aparentemente, eu iria sair novamente vencedora. No entanto o strogonoff deu dez a zero às lulas e equilibrou o jogo.
 
Para sobremesa, uma salada de fruta para mim e um pudim com creme inglês para ele que não desiludiram.
 
Fotografias da minha autoria.
 
Reading Time:
Mexe A Bunda Que É Segunda

quarta-feira, 17 de outubro de 2018

Desejem-me sorte, sim?
outubro 17, 2018 8 Comments
 
Estou, neste preciso momento, sentada num autocarro com destino à capital. O motivo? Uma entrevista para um emprego que quero muito conseguir.
 
Desejem-me sorte, sim?

Reading Time:

terça-feira, 16 de outubro de 2018

To All The Boys I Have Loved Before [2018]
outubro 16, 2018 7 Comments
Resultado de imagem para to all the boys i loved before
 
To All The Boys I Have Loved Before - Para Todos Os Rapazes Que Já Amei, em português, é um original Netflix baseado no livro homónimo.
 
Lara Jean, a personagem principal, é uma rapariga doce e introvertida, que gosta de jogar pelo seguro e que não se expõe com facilidade. Como tal, sempre que está apaixonada escreve uma carta para expressar os seus sentimentos. Existem cinco cartas no total, incluindo Peter, o galã da escola, e Josh, o namorado da irmã mais velha. Nunca nenhuma dessas cartas foi enviada. Até agora…
 
Por lapso - ou assim se pensava - todas as cartas são enviadas e Lara Jean vê o seu mundo virado do avesso. Lara Jean quer, a todo o custo, proteger a sua relação com a irmã. Já Peter, o destinatário de uma das cartas, quer a todo o custo deixar a sua ex-namorada ciumenta. Junta-se o útil ao agradável e Lara Jean e Peter decidem fingir um relacionamento.
 
To All The Boys I Have Loved Before ultrapassa um pouco a fasquia dos típicos romances adolescentes. Com o equilíbrio perfeito entre gargalhadas e momentos de reflexão, To All The Boys I Have Loved Before leva-nos numa jornada de autodescoberta que poderia ser nossa e faz-nos torcer por um final feliz.
 
Recomendo!
Vocês já viram? O que acharam
 

Reading Time:
Particularidades #118
outubro 16, 20181 Comments
 
Desde a traumática experiência com Mr.Bean, fujo a sete pés sempre que vejo este senhor.
Reading Time:

segunda-feira, 15 de outubro de 2018

As Lições de Vida de Harry Potter
outubro 15, 2018 5 Comments
Wook.pt - As Lições de Vida de Harry Potter
  
Depois de ver este livro no blogue da Carolina tenho resistido estoicamente a comprá-lo. Tem sido uma luta dura e diária. E inútil, na verdade. A minha paixão por livros, aliada à minha paixão por Harry Potter forma praticamente um poder sobrenatural. Juro, é algo que merecia ser estudado!

Eu sei que o quero ler. Eu sei que vou acabar por comprá-lo. Não é opcional. É um facto. O único motivo que me leva a continuar a resistir é, na verdade, composto por vários pequenos motivos: todos os livros que, neste momento, aguardam ansiosamente por um pouco da minha atenção.
Este ano não tem sido famoso no que diz respeito a leituras. Poderia desculpar-me com os mil e um projetos em que teimo em envolver-me, com as formações que faço questão de frequentar frequentemente, com o meu trabalho de voluntariado ou com as trezentas mil obrigações profissionais. Poderia, mas não faz sentido.
A verdade é que o dia tem 24 horas para todos e, mesmo com tantos projetos e compromissos, tenho plena consciência que, com um pouco de esforço, vou conseguir encaixar alguns minutos de leitura nos meus dias.
As Lições de Vida de Harry Potter, vai servir com motivação e será o meu prémio para quando os meus hábitos de leitura melhorarem - e os livros que aguardam a minha atenção diminuírem. Ou um presente para o meu aniversário, porque uma pessoa não é de ferro e nunca fez mal ter um plano alternativo.
 
Reading Time:
Mexe A Bunda Que É Segunda

sexta-feira, 12 de outubro de 2018

ROAD TRIP 2018 | Restaurante Rayuela [Sevilha, Espanha]
outubro 12, 2018 4 Comments
 
 
Depois de visitar a Plaza de España, regressámos para as redondezas do Hostel Arias e decidimos procurar um lugar para almoçar. Encontrámos o Restaurante Rayuela completamente por acaso e, depois de ver os pratos servidos na esplanada, decidimos entrar.
 
O espaço era acolhedor e despretensioso, privilegiando o branco, e com apontamentos em negro e laranja. Optámos por algo simples, uma Club Sandwich e tiras de frango panadas, ambos acompanhados por batatas fritas - afinal, ainda tínhamos muito para ver e muito pouco tempo em Sevilha.
 
A minha sanduíche estava deliciosa e o frango do Daniel foi o melhor que já comi! As tiras de peito de frango estavam perfeitamente panadas e nada gordurosas. Para regar o nosso manjar eu optei por um sumo de laranja natural e o Daniel por coca-cola. O preço não atingiu os 35€ e, mesmo sendo uma refeição deliciosa, achei um pouco elevado.
 
 



 
Fotografias da minha autoria.
 
MAIS SOBRE A ROAD TRIP: O Destino Escolhido || Gruta de las Maravillas || Hotel Era de Aracena || Tarjeta Turísticas de Aracena  || Parque Laderas Del Castillo || Castillo de Aracena || Plaza de España
Reading Time:

quinta-feira, 11 de outubro de 2018

5 Séries Fantásticas Que Tiveram Um Final de Merd@
outubro 11, 2018 9 Comments
Imagem relacionada
1. Merlin
Cinco anos. Cinco anos da minha vida dedicados a esta série. Cinco anos a crescer com o rapaz mais trabalhão que, para surpresa de todos, iria tornar-se no maior Mago de todos os tempos.

Cinco anos a tremer sempre que existia a mais pequena possibilidade de Merlin ser descoberto, e acabar na forca. Cinco anos a torcer para que Artur deixasse de ser um imbecil. Cinco anos a torcer pela Gwen e pelo Artur. Cinco anos a torcer pela amizade de Artur e Merlin. Cinco anos a gritar "DRAGOOOOOOOON!".

Cinco anos de amor e lealdade que culminaram num final apressado e sem sentido, com Merlin a caminhar, velho e sozinho, nos dias de hoje. A série merecia mais. Os fãs mereciam mais.



Imagem relacionada
2. Moonlight

O giraço do Alex - que podem ver atualmente como McGarrett em Hawaii Five-O - já foi vampiro. Quem diria?! 

Mick Saint John é um detetive particular que partilhar connosco a sua história enquanto resolve os seus casos. Décadas depois, o passado volta a encontrar Mick quando a louca da sua noiva, Caroline, que o transformou, sem permissão, no dia do casamento, volta para assombrar Mick. Mick salva a Beth Turner, uma criança inocente, das garras de Caroline e continua a sua vida. Cerca de vinte anos mais tarde, Mick volta a encontrar Beth, agora jornalista, e apaixona-se pela normal. 

A série tomou algumas liberdades no que toca a vampiros e aos seus hábitos e costumes com o intuito de a tornar mais credível aos olhos do público e, para mim, resultou perfeitamente. Mas aparentemente não foi o suficiente para a FOX que cancelou o programa após uma temporada sem sequer se dar ao trabalho de dar um final à série.


Resultado de imagem para star crossed
3. Star Crossed

Star Crossed foi, sem sombra de dúvida, uma das melhores séries que vi em toda a minha vida. 

Seres provenientes de outro planeta recorrem à Terra em busca de auxílio no entanto, inteligentes como só nós sabemos ser, tornamo-nos idiotas devido ao medo e excluídos estes seres, tão semelhantes a nós, do nosso quotidiano. Presos em campos militarizados - não vamos referir a semelhança com a Alemanha Nazi porque parece mal - só dez anos depois é que um pequeno grupo destes novos seres é autorizado a integrar - ainda de que forma muito condicionada - o quotidiano humano. 

A série centra-se em Emery e Roman, e em como o amor de anos consegue ultrapassar as diferenças que aparentemente os separam. A série, completamente diferente de qualquer série que já vi, foi cancelada no final da primeira temporada, deixando o final em aberto. Nessa altura li que um dos responsáveis pela série disse que Emery e Roman nunca iriam ficar juntos visto que eram de "espécies" diferentes e que existiam demasiadas diferenças que os separavam. Foi uma das coisas mais ridículas e preconceituosas que já vi e, apenas por um segundo, pensei que talvez fosse bom terem terminado a série visto que nunca compreenderam verdadeiramente o seu potencial para uma mensagem de compreensão, união e aceitação.


Resultado de imagem para the originals
4. The Originals

The Originals, o spin-off de The Vampire Diaries, conquisto o meu coração desde o primeiro segundo. Ri e chorei. E, pouco a pouco, apaixonei-me pelos Mickaelson. 

Always and Forever, descreve muito bem a minha visão de família - sem a questão dos homicídios e das estacas no coração - e vai continuar presente na minha vida. Adorei a evolução das personagens e o gritante desenvolvimento emocional de Klaus. Cresceram tanto. Ultrapassaram tanto. Conquistaram tanto. E permaneceram sempre juntos. 

O final, ainda que bastante emotivo, foi apressado e, a meu ver, ridículo. Se há algo que aprendi com The Vampire Diaries e The Originals é que existe sempre uma alternativa. E este não era, de todo, o final indicado para uma série que causou um impacto tão positivo na vida de tantas pessoas.



Imagem relacionada
5. Reign
Se tivesse que escolher uma palavra para descrever Reign seria: envolvente. Vi o primeiro episódio e passei a noite em claro, até terminar a primeira temporada.

A série retrata - com muita liberdade histórica - a vida de Mary, Rainha da Escócia. 

Não vou entrar em detalhes pois, como se trata de uma série baseada em factos históricos, muitos já conhecem, mas peço-vos que tenham atenção os lindos vestidos - completamente fora do contexto histórico - e a banda sonora.
Reign, começou bem. Muito bem, na verdade. Mas acabou da pior forma. E tudo por causa de um miúdo mimado e inseguro, que me recuso a chamar de homem.
Reading Time:

quarta-feira, 10 de outubro de 2018

ROAD TRIP 2018 | Plaza de España [Sevilha, Espanha]
outubro 10, 2018 4 Comments
 
A Praça de Espanha, em Sevilha, dispensa apresentações. É um dos cartões de visita da cidade e, muito provavelmente, um dos locais mais fotografados em Sevilha e, arrisco-me a dizer, em toda a Andaluzia.
 
Construída em 1928 para a Exposição Ibero-Americana de 1929, a Praça de Espanha foi projetada por Aníbal Gonzalez e integra o Parque Maria Luisa.
 
A Praça de Espanha é composta por um semicírculo de edifícios que, na sua maioria, pertencem ao governo espanhol. É nesse semicírculo que podem encontrar o Museo Militar Regional de Sevilla, com entrada gratuita.
 
No centro da Praça de Espanha podem encontrar a fonte Vicente Traver e, sobre o fosso, as pontes que representam os antigos reinos de Espanha.
 
A Praça de Espanha era algo que queria muito visitar em Sevilha, e não só correspondeu como superou as minhas expetativas. É impossível ficar indiferente a tanta grandiosidade e, principalmente, à beleza da fusão entre o Ocidente e o Oriente.
 
 
 





 
Fotografias da minha autoria.
 
Reading Time:

terça-feira, 9 de outubro de 2018

segunda-feira, 8 de outubro de 2018

ROAD TRIP 2018 | Castillo de Aracena [Aracena, Espanha]
outubro 08, 2018 4 Comments
Depois da subida demoníaca pelo Parque Laderas Del Castillo, chegar ao Castelo foi um prémio mais que merecido. Pronto, a bem da honestidade, o caminho não é assim tãooooo mau. Mas para mim, uma lontrinha assumida que estava feitinha para passar mais uma horinha na piscina do Hotel Era de Aracena, foi um verdadeiro suplício.
 
Como o tuga está sempre cheio de sorte, chegámos ao Castelo e batemos com o nariz na porta. Tudo em mim estremeceu. Afinal, para além de querer visitar o Castelo, a visita já estava paga, visto que comprámos a Tarjeta Turística. E, não menos importante, tinha suado que nem uma chinchila numa aula de Body Combat para chegar ao Castelo.
 
Depois de amaldiçoar o Mundo - e o Daniel, pois só fiz a subida a pé por causa dela - acalmei-me e foi ler o placard de informações. Afinal as visitas ao Castelo são sempre guiadas e acontecem em horário definido.  Tudo bem, faltavam apenas dez minutos.
 
As visitas são realizadas na companhia de um guia e nós, que não somos fãs de visitas guiadas, ficámos rendidos à simpatia do Sr. Luís e às suas explicações. A entrada está incluída na Tarjeta Turística de Aracena ou, caso optem por não comprar este cartão, podem comprar apenas o bilhete para entrar no Castelo, com um custo de 2,50€.

 
 
  

 



 
Todas as fotografias são da minha autoria.

 
 
Reading Time:

@way2themes