Avançar para o conteúdo principal

Christmas Tag [Parte 1]

A Maria e a Ella foram umas fofinhas e nomearam-me para a Christmas Tag e, como acontece com tudo o que está relacionado com o Natal, eu não consegui recusar. Obrigado, Maria e Ella!

O objetivo desta TAG natalícia é responder a 13 perguntas e nomear 7 bloggers para a fazerem. Como as minhas respostas ficaram um pouco extensas, vou dividir esta TAG em duas publicações. 

1- Qual é o teu filme de Natal favorito?
Para mim o Natal é uma época de felicidade e amor, em que tudo serve de desculpa para ser um bocadinho mais feliz. As tradições passam-me um bocado ao lado e a felicidade daqueles que amo é a minha prioridade por isso, apesar do meu amor incondicional por Harry Potter, qualquer filme da Disney é um bom filme para assistir em família. Não só nesta altura, mas durante todo o ano!

2- Onde costumas passar o Natal?
As minhas melhores recordações são dos Natais passados em casa da minha avó materna, com toda a família reunida. No entanto, tendo os meus pais separados, depois acabei por me dividir um bocado entre a casa da minha avó materna, da minha avó paterna e dos meus avós (pais do meu padrasto) e, mais recentemente, dos pais do meu namorado.

3- Qual é a tua música de Natal favorita?
Todas e mais algumas! Basicamente, todas as minhas músicas favoritas, mesmo que não tenham qualquer relação com a época natalícia.

4- Abres os presentes na véspera de Natal?
Em qualquer altura! Como tenho uma família grande e ando sempre a saltitar, qualquer altura é boa para abrir prendas! A tradição é na véspera, à meia-noite, mas a minha avó materna aboliu a tradição para termos tempo de brincar com os nossos presentes. Digam-lá se não tenho a avó mais fixe de todas?

5- Por que tradições estás mais ansiosa este Natal?
A minha avó materna e a minha mãe, talvez pelo facto de eu ter que me dividir no Natal e elas verem o quanto isso me incomodava, sempre desvalorizaram as tradições. A prioridade delas sempre foi ensinar-me que o mais importante é a família, independentemente do dia ou do local. Portanto o que eu mais gosto é de passar o Natal com a minha família, todos juntos, entre risos e palhaçadas.

No entanto existe uma coisa engraçada: as nossas refeições de Natal em casa da minha avó materna eram mais tradicionais e normalmente a ceia era o típico bacalhau com couves, até que eu comecei a falar e pedir carne de porco à alentejana! E assim, foi. Até aos dias de hoje, é quase certo que a carne de porco à alentejana e o bacalhau com couves coexistem na nossa mesa.

6- Tens uma árvore de Natal verdadeira ou falsa?
A minha atual árvore de Natal foi idealizada pela minha mãe, é em madeira, e foi construída por um carpinteiro nosso amigo. É só a árvore mais linda do mundo! Prometo partilhá-la com vocês. 

No entanto quando era pequena a minha avó Lisete (avó materna) tinha sempre uma árvore de Natal verdadeira e enorme! Adorava deitar-me debaixo da árvore, ver as luzes a piscar e sentir aquele cheirinho maravilhoso.

7- Qual o teu doce/comida favorita do Natal?
Não sou grande apreciadora dos doces típicos de Natal mas, dentro do mais tradicional, talvez os meus favoritos sejam os pastéis de grão. No entanto dou sempre prioridade a mousses, doces com bolacha e doces com fruta.

Continua... 
Amanhã irei publicar a segunda parte desta TAG.

Comentários

  1. Obrigada por responderes à TAG! Fico a aguardar pelas fotos da tua árvore. Fiquei curiosa :)

    ResponderEliminar
  2. Quero saber como descobriste a verdade sobre o Pai Natal, estou curiosa :P

    ResponderEliminar
  3. Os filmes da Disney são tão mais especiais quando são vistos nesta altura do ano. Beijinhos*

    ResponderEliminar
  4. Ri-me muito com a cena da tua avó :D e quero muito ver essa árvore!!

    ResponderEliminar

Publicar um comentário

Mensagens populares deste blogue

Relacionamentos: É Amor ou Comodismo?

"O amor é a base de qualquer relacionamento."
Existem algumas certezas que sempre me acompanharam durante o meu crescimento. 
Uma delas, talvez uma daquelas em que acreditava com mais tenacidade, era que todos os relacionamentos se baseavam em amor.
Depois cresci, não muito confesso. Continuo a manter uma certa ingenuidade e a guardar com carinho muitos dos meus sonhos de menina mas, inevitavelmente, a vida acontece, e o mundo que inicialmente era a preto e branco, começa a ganhar diversos tons de cinza.
E, com muita tristeza minha, apercebi-me que a grande parte dos relacionamentos não tem por base o amor mas sim o comodismo. Quando ficamos por hábito, por não querer admitir que não resultou, por medo do desconhecido ou, simplesmente, porque não temos coragem de abrir o nosso coração ao desconhecido e tentar outra vez.
Existem avisos, sempre, mesmo quando queremos negar ou preferimos não encarar a dura verdade. Quando os gestos de carinho são inexistentes. Quando qualquer moment…

Mais de 1500.

Imagem de Deathtostock
Mais de 1500 publicações, 1507 se quisermos levar a precisão ao extremo. Mais de 1500 opiniões, parvoíces, textos, frases, imagens e idiotices.
Não posso dizer que estou surpreendida pelo número de publicações visto que, quando criei este blogue fi-lo com o objetivo de criar algo duradouro, algo que me acompanhasse, crescesse e evoluísse comigo. O que me surpreende são vocês. Vocês, que começaram a ler e gostaram. Vocês, que despendem de um pouco do vosso dia para apoiar, criticar ou dar a vossa opinião. Vocês, que continuam a voltar dia após dia mesmo quando as actualizações são raras. A todos vocês muito obrigado.

Decisões de Menina Crescida.

Tenho a oportunidade de me envolver numa empresa que me irá dar alguma estabilidade e, a longo prazo, uma carreira profissional sólida. No entanto é necessário realizar um investimento inicial que, neste caso, iria envolver todas as minhas economias. 
A verdade é que tenho algum receio. O que para a maioria das pessoas envolvidas no negócio pode ser um valor insignificante, para mim abrange praticamente a totalidade do capital que tenho disponível e não consigo deixar de me sentir insegura e algo ansiosa. Detesto a sensação de ficar financeiramente desprotegida, ainda que por pouco tempo.
Tenho que tomar uma decisão até dia 25 e espero decidir pelo melhor mas, muito honestamente, não faço a menor ideia do que devo fazer.