Novembro 2016 - Perfeitamente Imperfeito

sábado, 26 de novembro de 2016

UM QUARTO DE SÉCULO.
novembro 26, 2016 6 Comments

Hoje é dia de ser (ainda) mais feliz. Hoje é dia de festejar os meus 25 anos.
Reading Time:

quinta-feira, 24 de novembro de 2016

Para Ti.
novembro 24, 2016 3 Comments


No meio de tantas incertezas, dúvidas e receios, a única constante és tu. E isso é tudo o que eu preciso.


Reading Time:

quarta-feira, 23 de novembro de 2016

BLACK FRIDAY | THE MADNESS BEGINS.
novembro 23, 2016 2 Comments
Se há coisa que os portugueses são bons - entre muitas outras - é a adoptar tradições alheias. Fazer o quê? O Tuga é uma cidadão do Mundo e se a tradição mete festa, ou qualquer outra coisa que nos agrade, então venha daí! É o caso da Black Friday. Não mete festa, mas mete descontos e isso, só por si, já é uma festa.

E como esperar pela sexta é para meninos, a La Redoute iniciou a Black Friday ontem, dia 22, e só vai terminar segunda-feira, dia 28. E isto sim, é a loucura! Além dos descontos já existentes, que podem ir até 60%, têm um desconto adicional de mais 15%. Ou seja, bem vasculhado, naquele site vão encontrar peças giríssimas com 75% de desconto! Carreguem os portáteis, aqueçam os dedos, abram-me bem esses olhinhos e... toca a clicar! Mas com calma, não se esqueçam que vão ter de pagar no fim.

Reading Time:

terça-feira, 22 de novembro de 2016

ROAD TRIP 2016 | Day 2 : Valladolid
novembro 22, 20160 Comments
Acordámos cedo - como em todos os dias desta viagem, diga-se - arrumámos as poucas coisas que faltavam e descemos para tomar o pequeno-almoço. O último pequeno-almoço na Plaza Mayor... Ainda não tinha ido embora e já estava com vontade de voltar. Digo-vos sinceramente, se o alojamento em Valladolid não estivesse pago, tínhamos ficado mais um dia em Salamanca.

Com as malas no carro e prontos para partir, deixámos para trás uma cidade que nos conquistou a vista e o coração, mas a promessa de novas aventuras numa nova cidade consolaram-nos.

Depois de praticamente 120 km, chegámos a Valladolid e encontrámos o nosso alojamento. Chegámos um pouco antes da hora combinada para check-in mas nem isso diminuiu a simpatia das funcionárias, que apenas nos pediram para aguardar um pouco enquanto terminavam a limpeza. Arrumámos as malas, perguntámos onde existia uma zona de estacionamento livre e, depois de deixarmos o nosso BatMóbil, começamos a nossa peregrinação.

Com a espera do quarto, estacionamento e caminhada até ao centro, chegámos praticamente à hora de almoço. Resolvemos fazer um reconhecimento do território para não perder completamente a manhã, e só depois procurámos um local para almoçar.


"PILAS GRÁTIS PARA SIEMPRE". É praticamente impossível ficar indiferente a um anúncio destes. E sim, eu sei, "pilas" em espanhol, significa "pilhas" mas, ainda assim, não imaginam o que me ri com isto. Afinal, o que é uma viagem sem parvoíces?


Depois de carregar as "pilas" - pausa para admirarem o meu espanhol fluente - continuámos para a Academia de Caballéria. Decidimos não entrar e preferimos passear pelo parque que se encontra mesmo em frente, do outro lado da rua.


Continuámos e, entre o Palácio Real, museus e uma exposição em que acabámos a fazer desenhos para afixar no museu - juro, que não estou a brincar - a tarde passou e encontrámos um pequeno jardim encantado.



O cansaço começa a vencer-nos e optámos pelo mesmo programa de Salamanca: duche e sesta antes de jantar. Digo-vos, é uma combinação vencedora! Há quem diga que assim não se aproveita, eu discordo. Prefiro levantar-me cedo e descansar um pouco durante a tarde, se necessário, do que andar a percorrer cidades em modo zombie.


A fome apertava e a ausência de restaurantes típicos e convidativos na zona fizeram-nos optar pela TelePizza - muito espanhol, eu sei. Para compensar a nossa falha decidimos explorar os bares e cafés das redondezas e acabámos no Once Onzas. Eu, menina bem comportada, pedi um sumo natural com cenoura, laranja, e outras merdas saudáveis, já o Charming, gordalhão de primeira, alambazou-se com um batido de chocolate.




Reading Time:

domingo, 20 de novembro de 2016

A Música da Semana | John Legend - Love Me Now
ATENÇÃO, HOMENS DESTE MUNDO!
novembro 20, 20161 Comments
(Ou pelo menos os que lêem este blogue). Em celebração do Dia Internacional do Homem - 19 de Novembro - O Boticário está a oferecer, até este domingo, o Azulen Creme, da linha MEN. Basta irem a uma loja O Boticário e pedirem o vosso. Aproveitem!


Reading Time:

sábado, 19 de novembro de 2016

ROAD TRIP 2016 | Papizza
novembro 19, 2016 2 Comments


Localizado praticamente na Plaza Mayor de Salamanca, o Papizza é uma excelente opção para uma refeição rápida, ou até mesmo um snack. O espaço tem uma decoração bastante clean e funcional com traços italianos - a parede de fotografias é um amor!

Existem diversas pizzas que vão saindo do forno ao longo do dia em grandes tabuleiros de madeira, com preços desde 2€ por fatia. No entanto conseguem preços ainda mais vantajosos se optarem por algum dos menus. Nós optámos por um menu com fatia de pizza e bebida por 2,50€, ou seja, por mais 0.50€ tivemos também uma bebida.


Se passarem por lá ao final da tarde, podem optar por um lanche, ou até mesmo por jantar mais cedo, e aproveitarem a Happy Hour das 17h às 19h em que todas as fatias de pizza são 1€.

Não são fãs de pizza? Não há problema. Podem comer um calzone por 3,50€, uma salada por 4,50€ ou uma pasta por 5€. Apenas provei as pizzas mas o balcão com legumes frescos deixou-me a salivar.


! SALVA TURISTAS !
Consultem sempre os menus! Normalmente conseguem opções mais interessantes com bebida incluída e conseguem poupar uns trocos.


Morada: Calle Concejo n.º 1 (praticamente na Plaza Mayor)
Preço: Económico


Mais sobre a Road Trip:

Mais sobre Salamanca:

Reading Time:

sexta-feira, 18 de novembro de 2016

Particularidades #104
ROAD TRIP 2016 | Day 1: Salamanca
novembro 18, 2016 2 Comments
Depois de duas semanas no Algarve,  em que fizemos tudo menos dormir, planeámos descansar durante os dois dias que iríamos estar em Bragança. Planeámos. Obviamente, não aconteceu. Depois de algum passeio e noites mal dormidas decidimos que seria extremamente engraçado acordar às cinco da manhã e partir para Salamanca. Uma ideia brilhante... em teoria. 

Acho que nunca, em momento algum dos meus 24 anos, tive tanto sono. O Charming foi a conduzir, como na maioria das vezes, e parecia uma toupeira a esforçar-se para manter os olhos abertos. Pensámos em parar cerca de 45674579 vezes mas, vá-se lá saber, deixávamos sempre passar a saída.

Depois de quase 3 horas de caminho - que pareceram intermináveis - chegámos a Salamanca e o meu primeiro pensamento foi: "Mas que bela merda! Porque é que não fiquei a dormir?!". Neste instante passaram-me mais mil e uma coisas pela cabeça: que a road trip ia ser um desastre, que o dinheiro tinha sido mal gasto, que mais valia ter ficado em casa... Enfim, tudo passou assim que nos começamos a aproximar do centro histórico. 

Um polícia super simpático indicou-nos como poderíamos chegar ao nosso hotel e autorizou-nos a deixar o carro mal estacionado para retirar as malas. E, digo-vos, assim que cheguei ao fim daquele rua e entrei na Plaza Mayor... foi esse o momento em que me apaixonei por Salamanca.

Ficámos no Los Angeles Plaza, na Plaza Mayor e fiquei bastante satisfeita com a relação localização/preço. 
Deixámos as malas e decidimos tomar o pequeno-almoço para partir à descoberta o mais rapidamente possível. 


A Plaza começava a ganhar vida mas ainda poucos locais se encontravam abertos, Acabámos por escolher La Tahona De La Abuela, uma decoração clean conjugada com a preservação de alguns detalhes antigos do edifício (como podem ver em uma das paredes da foto acima). Mais do que a comida, tenho a recomendar uma ida à casa-de-banho. Sim, à casa de banho. Ora, vejam:

Há para o menino e para a menina. Aqui ninguém é discriminado.

Depois de o meu fascínio e, por mais encantadoras que fossem as casas de banho, decidimos continuar. Localizámos o posto de turismo, fomos buscar um mapa todo catita e achamos boa ideia planear o roteiro numa pizzaria. Nós fizemos mais que comer, juro! 


De barriguinha cheia - pudera, depois de dois pequenos-almoços! - atravessámos a Plaza Mayor de mapa na mão. E tenho a dizer: Salamanca é linda!



Primeira paragem: Universidade Pontífice de Salamanca com subida às torres. Fundada em 1940, a Universidade Pontífice de Salamanca é uma universidade católica privada que, atualmente, conta com campus em Salamanca, Madrid e Jerusalém. É uma paragem obrigatória em Salamanca e, a subida até às torres, por mais que vão amaldiçoar cada um dos degraus, proporciona uma vista mágica sobre a cidade.


 



Descemos e seguimos para a Casa de las Conchas. Ir a Salamanca e não visitar a Casa de las Conchas deve ser o equivalente a ir a Roma e não ver o Papa. Não se preocupem com custos, a entrada é gratuita.





Continuámos e deambulámos pelas ruas de Toro e Zamora. Por mais monumentos e pontos de interesse que existam gosto de me perder e deambular sem destino, enquanto observo a cidade e os seus habitantes.

Chegámos à Plaza de Anaya, o Palácio de Anaya estava fechado e a fila para a Catedral era tão grande que decidimos adiar a visita. Fomos em direção à Universidade de Salamanca mas acabámos por não entrar por considerar o preço excessivo - quando se tem um orçamento mais ou menos definido à que fazer opções - e decidimos almoçar ali perto para voltar à Catedral depois de almoço.

A paella estava boa mas o rabo de touro estava simplesmente divinal!

A Catedral de Salamanca é, na realidade, composta por duas catedrais, a Catedral Nova e a Catedral Velha. A Catedral Velha data do século XII e XIII e a entrada é feita pela Catedral Nova. E aqui, preparem-se meus amigos, preparem-se para dar ao chinelo e andar para caraças. A Catedral é enorme e tem imensas coisas para ver. Aproveitem.



O cansaço era mais que muito mas, como só tínhamos um dia em Salamanca, queríamos aproveitar ao máximo e continuámos a nossa peregrinação com um passeio até à beira rio. E que bem que soube!




E, quando regressávamos para o interior da cidade, descobrimos um verdadeiro oásis.

Visitámos ainda a Cueva de Salamanca, ou Cova do Diabo e, confesso, foi a única coisa que me desiludiu em Salamanca. Reza a lenda que era naquele local que o próprio Diabo ensinava magia negra. Esperava um local fantasmagórico e horripilante mas é bastante normal, apenas mal cuidada e com algum lixo.


!Salva turistas!
A Cueva de Salamanca tem uma entrada pequena, e quando passam do lado de fora, o gradeamento não chama a atenção e a sinalização é muito pobre. Estejam atentos! Ou vão subir e descer a rua várias vezes - como me aconteceu!


Depois de tanto passeio fomos ver pela primeira vez o nosso quarto - tínhamos deixado as malas na receção - e não resistimos a um duche e uma sesta afinal, estamos em Espanha. Acordámos e fomos até ao Cuzco Bodega. O conceito é bastante agradável, as tapas fora do vulgar e muito boas. No entanto, como não há bela sem senão, o espaço é minúsculo e enche rapidamente. Se quiserem sentar-se e aproveitar vão cedo e fiquem na esplanada, é óptimo para observar a vida na cidade.

O jantar no Cuzco Bodega foi simplesmente fantástico. Adoro tapas e o facto de me possibilitar provar diferentes sabores.

Praticamente vencidos pelo cansaço mas ainda a querer mais, decidimos dar um último passeio pela cidade visto que iríamos partir no dia seguinte e, sorte das sortes, ainda vimos uma atuação da Tuna na Plaza Mayor. E valeu tanto a pena! São estes momentos completamente aleatórios e tão típicos que transformam viagens em memórias.

A vista da janela do nosso quarto. Impossível não ficar apaixonado.

!Salva turistas!
A zona histórica é uma zona pedestre e é proibida a circulação de veículos, uma vantagem na minha opinião. Além disso todos os monumentos e pontos de interesse são facilmente alcançáveis a pé. Atenção, vão ter de andar mas, com a proximidade que existe entre todos os pontos de interesse, é uma caminhada extremamente agradável.


Mais sobre Salamanca: 

ROAD TRIP 2016 | Papizza


Mais sobre a Road Trip:

Reading Time:

domingo, 13 de novembro de 2016

A Música da Semana | Lady Gaga - Million Reasons
novembro 13, 2016 7 Comments

Por incrível que pareça só descobri esta música ontem. Agora ouço em modo non stop para compensar o tempo perdido.
Reading Time:

quinta-feira, 10 de novembro de 2016

Existem coisas que merecem ser ouvidas... e esta é uma delas.
novembro 10, 2016 3 Comments
O meu nível de incredulidade não me permiti expressar a minha opinião de uma forma coerente e correta. Portanto, até assimilar a ideia, divirto-me com o Nilton.

Reading Time:

terça-feira, 8 de novembro de 2016

The 2016 Victoria’s Secret Fantasy Bra
novembro 08, 2016 6 Comments
Existem duas coisas garantidas quando se fala no desfile anual da Victoria's Secret: um espetáculo do caraças e um fantasy bra. 

Avaliado em 3 milhões de euros, o Fantasy Bra desde ano, desenhado por Eddie Borgo, contou com 700 horas de trabalho e contém cerca de 9 000 pedras preciosas. 

A sortuda deste ano? Jasmine Tookes.

Reading Time:

domingo, 6 de novembro de 2016

Uma Primeira Vez Para Tudo.
novembro 06, 2016 7 Comments
Imagem de unsplah.com


Não consegui deixar a publicação anterior como uma simples particularidade. Tal como referi, este ano, pela primeira vez desde que entrei para a escola primária, não estou matriculada em nenhuma instituição de ensino.

Completamente normal para uma jovem de 24 anos, que já terminou a licenciatura, iniciou um mestrado e já trabalha "a sério" desde os 17 anos. Ou pelo menos, seria de esperar que fosse normal. Não é. Pelo menos, não para mim. 

Eu gosto de escola. Gosto de comprar novos materiais e dos cadernos por escrever. Gosto da azáfama de estudar para um teste e da sensação de ter as respostas na ponta da língua. Gosto de sorrir quando recebo uma excelente nota e gosto de me reorganizar quando recebo uma nota menos boa porque, no fim de contas, sei que posso fazer melhor. Gosto dos trabalhos para entregar e dos objectivos cumprimentos. Gosto dos meus apontamentos bonitos e dos meus marcadores. Gosto dos livros e de estudar. Gosto, acima de tudo, de aprender. Há tanto por descobrir e tanto que nunca deve ser esquecido.

Muito honestamente, ainda não sei como me sinto em relação a esta decisão mas, neste momento da minha vida, sinto que não poderia ter sido de outra forma.
Reading Time:

sábado, 5 de novembro de 2016

Particularidades #103
novembro 05, 20161 Comments
Imagem de unsplash.com

Pela primeira vez, desde os meus cinco anos de idade, não estou matriculada em nenhuma instituição de ensino.

Reading Time:

quinta-feira, 3 de novembro de 2016

Estou completamente apaixonada...
novembro 03, 2016 9 Comments
Falda larga asimétrica plateada
Para mais informações basta clicar na imagem.

O que vos parece?
Reading Time:
Road Trip 2016 - O Início.
novembro 03, 2016 2 Comments


Agosto de 2016 foi um mês de rotina e surpresas. Um mês com as já tradicionais férias no Carvoeiro, e um mês de viagens inesperadas. Um mês com sorrisos e areia, felicidade e sonhos realizados, e muitos, mesmo muitos quilómetros à mistura.

Foi, também, o mês em que eu e o Charming resolvemos fazer uma viagem que já à muito andava a ser adiada. Uma road trip por Espanha. E porquê Espanha? Apenas por uma questão de conveniência. Sabíamos que íamos passar uns dias em Bragança e que tínhamos que voltar a casa portanto, porque não fazê-lo pelo país vizinho?

Depois das férias com a minha família no Carvoeiro e das férias com a família dele em Bragança, tínhamos apenas 5 dias. Primeiro, pensámos que era pouco tempo, depois pensámos "Que se lixe! Vamos a isso!". E fomos. Decidimos as cidades a visitar e o alojamento enquanto estávamos no Carvoeiro e pouco mais planeámos. E foi tão bom!

Foi uma viagem fantástica. A nossa primeira viagem em conjunto para o estrangeiro. E, com todas as aventuras, gordices, gargalhadas, momentos românticos e alguns imprevistos, não podia ter corrido melhor.

Agora, com a cabeça e fotografias organizadas, vou partilhar com vocês cada um dos dias desta viagem e os locais mais bonitos que vi. 
Reading Time:

@way2themes