Avançar para o conteúdo principal

Quase no Ensino Superior #5 - A Localização.

Existe quem escolha primeiro o curso e depois a faculdade, existe quem pesquise primeiro as faculdades mais conceituados e só depois escolha o curso, existe quem queira - ou tenha - que ficar perto de casa e limite as suas escolhas às opções disponíveis na faculdade da cidade onde residem e existe também quem escolha primeiro a cidade e só depois a faculdade e o curso.

Faço parte do terceiro grupo. Mesmo com a minha mãe a dizer-me que podia ir para a faculdade que quisesse eu sempre tive a noção de que, para tal acontecer, a minha família iria ter bastantes dificuldades e nunca conseguiria estar longe de casa sabendo que a minha mãe e os meus irmãos tinham que passar algumas dificuldades para eu continuar a estudar. Foi uma decisão minha. Só minha. E não me arrependo.

Num mundo ideal diria para seguirem os vossos sonhos independentemente de qualquer dificuldade mas não é isso que vou fazer. Vou dizer-vos que tirem uns minutos para pensar. Sobre vocês, a situação económica da vossa família, o curso que realmente querem e se estão a escolher o curso porque é o que gostam ou simplesmente porque a cidade onde existe é boa para a rambóia.

Existem bolsas mas elas podem demorar, como aconteceu este ano lectivo em que alguns alunos tiveram que abandonar os estudos porque em Fevereiro ainda não tinham recebido nem um cêntimo.

Entendo o desejo de viver fora de casa e terem a vossa independência mas ficar em casa também não é nenhuma desgraça. Ficam próximos de quem vos ama e têm um apoio constante, não perdem os aniversários e datas importantes, sabem que alguém vos vai trazer uma sanduíche quando tiverem de estudar pela noite fora e que alguém vos vai abraçar no final de um dia menos bom.

Como tudo na vida, existem dois lados para cada uma das situações. O meu conselho é que pensem bem, se querem realmente iniciar uma fase mais adulta e responsável da vossa vida nada melhor que fazê-lo de forma responsável.

Brandy ♥ Melville

Comentários

  1. Gosto bastante da tua maneira de pensar, deviam ser todos assim e ter consciência das coisas. Lembrarem-se que a faculdade não é só festas...Eu acabei este ano o primeiro ano da minha licenciatura e fiquei a estudar na minha cidade em casa dos meus pais e tenho-te a dizer que não me arrependo nada, vivi a mesma vida académica que os outros e tive um ano excelente. Dá-se conta que já és uma mulherzinha, pela maneira como pensas, e lá está, acho que o mais importante é seguirmos o curso que queiramos, independentemente da cidade para onde temos de ficar.
    Li**

    ResponderEliminar
  2. apesar de gostar da ideia da independência, sei que o melhor para mim era mesmo ficar perto de casa

    ResponderEliminar
  3. muito obrigada querida :)
    Li**

    ResponderEliminar
  4. Quando decidi o curso que queria e soube que havia numa universidade perto de casa, nem procurei mais lado nenhum. Com a minha média, era mais que certo que entrava nessa universidade e os meus pais não conseguiriam suportar muitas das despesas que se tem quando se estuda longe. No inicio, senti alguma revolta. Sentia que ia perder muita coisa, que não ia viver a vida académica como tanto ansiava e que não ia ter a independência que muitos falam. Já lá vão dois anos de universidade, e não trocaria nada! Passo duas horas de camioneta no caminho casa-universidade-casa, mas sei que chego das aulas e vou ter a comida feita e pessoas com quem conversar sobre o meu dia-a-dia. Não ando com o stress de fazer e desfazer malas, não falho datas especiais nem perco nenhum momento importante que possa acontecer (principalmente na vida do meu irmão). Tudo tem coisas boas e coisas más, mas eu sei que, para mim, ficar em casa foi a melhor decisão! :)

    ResponderEliminar
  5. Desde já obrigada pelas tuas dicas eu sei a média do quarto e é um bocado puxado mas não consigo ver no site as propinas e que eu eu quero ir é para peniche nao sei mesmo o que fazer e obrigada acerio

    ResponderEliminar
  6. No meu caso não tenho universidades perto com o curso que queria, tive mesmo de optar por estar a cerca de 300 kms de casa. Foi um grande esforço e sei que não o conseguiria se as condições tivessem sido outras. Como teria mesmo de sair de casa optei pelo curso que gostava, mas caso tivesse possibilidade de ficar em casa pensaria duas vezes!

    ResponderEliminar
  7. Obrigada pela ajuda é uma boa ideia mas não sei porque a casa são 170 mais comida nãos sei mesmo a tua bolsa é de quanto se não for indiscrição claro

    ResponderEliminar
  8. Fui para a univesidade numa cidade diferente, mas ia e vinha todos os dias. Isto é muito desgastante. Mas não é impossível, não tinha capacidade financeira para me mudar para la a tempo inteiro, por isso teve de ser. Queria muito ter ficado pelo Porto, morria de amores pela biblioteca da Flup, mas não consegui escolher um curso que me agradasse minimamente, por isso, tive de ir para Aveiro. No meu caso compensou o esforço, porque o meu curso é exatamente aquilo que eu queria. Fui uma sortuda.

    ResponderEliminar
  9. Obrigada acério já é uma otima ajuda eu também se quisesse a bolsa era para as propinas

    ResponderEliminar
  10. Perto de casa só tenho politécnicos e a UBI...Nenhum deles tem o curso que quero...A mais longe fica em Lisboa, a mais perto em Coimbra...

    ResponderEliminar

Publicar um comentário

Mensagens populares deste blogue

Relacionamentos: É Amor ou Comodismo?

"O amor é a base de qualquer relacionamento."
Existem algumas certezas que sempre me acompanharam durante o meu crescimento. 
Uma delas, talvez uma daquelas em que acreditava com mais tenacidade, era que todos os relacionamentos se baseavam em amor.
Depois cresci, não muito confesso. Continuo a manter uma certa ingenuidade e a guardar com carinho muitos dos meus sonhos de menina mas, inevitavelmente, a vida acontece, e o mundo que inicialmente era a preto e branco, começa a ganhar diversos tons de cinza.
E, com muita tristeza minha, apercebi-me que a grande parte dos relacionamentos não tem por base o amor mas sim o comodismo. Quando ficamos por hábito, por não querer admitir que não resultou, por medo do desconhecido ou, simplesmente, porque não temos coragem de abrir o nosso coração ao desconhecido e tentar outra vez.
Existem avisos, sempre, mesmo quando queremos negar ou preferimos não encarar a dura verdade. Quando os gestos de carinho são inexistentes. Quando qualquer moment…

Mais de 1500.

Imagem de Deathtostock
Mais de 1500 publicações, 1507 se quisermos levar a precisão ao extremo. Mais de 1500 opiniões, parvoíces, textos, frases, imagens e idiotices.
Não posso dizer que estou surpreendida pelo número de publicações visto que, quando criei este blogue fi-lo com o objetivo de criar algo duradouro, algo que me acompanhasse, crescesse e evoluísse comigo. O que me surpreende são vocês. Vocês, que começaram a ler e gostaram. Vocês, que despendem de um pouco do vosso dia para apoiar, criticar ou dar a vossa opinião. Vocês, que continuam a voltar dia após dia mesmo quando as actualizações são raras. A todos vocês muito obrigado.

Decisões de Menina Crescida.

Tenho a oportunidade de me envolver numa empresa que me irá dar alguma estabilidade e, a longo prazo, uma carreira profissional sólida. No entanto é necessário realizar um investimento inicial que, neste caso, iria envolver todas as minhas economias. 
A verdade é que tenho algum receio. O que para a maioria das pessoas envolvidas no negócio pode ser um valor insignificante, para mim abrange praticamente a totalidade do capital que tenho disponível e não consigo deixar de me sentir insegura e algo ansiosa. Detesto a sensação de ficar financeiramente desprotegida, ainda que por pouco tempo.
Tenho que tomar uma decisão até dia 25 e espero decidir pelo melhor mas, muito honestamente, não faço a menor ideia do que devo fazer.