Avançar para o conteúdo principal

Deixa as Palavras Voarem - Coadoção.


A coadoção por casais do mesmo sexo foi aprovada. A adoção não. Um dos argumentos mais tolos que ouvi foi que com a coadoção a criança tem um pai, uma mãe e uma ideia de que deve ser uma relação normal. Confesso que até fiquei interessada em descobrir o que é uma relação normal. Não existem duas pessoas iguais, logo é impossível existirem duas relações iguais no entanto, algum génio conseguiu criar um método de parametrizar relações e descobriu o que é o modelo normal de uma relação amorosa.

Negar a adoção por casais homossexuais não é mais do que julgar a capacidade de alguém ser pai ou mãe apenas tendo em conta a pessoa com quem se deita, o que não é só triste mas também mesquinho. Ninguém, muito menos uma criança, deve ser privada do amor, carinho, proteção e segurança que só um lar feliz consegue transmitir. Todas as crianças têm o direito de ser amadas de forma incondicional. Todas as crianças têm o direito de se sentir seguras e protegidas. Todas as crianças têm o direito de ser o centro do mundo para alguém.

Há quem diga tornar esse ideal numa realidade seria expor as crianças a discriminação e comentários maliciosos. Provavelmente têm razão. As crianças são um reflexo da sua educação e se os pais não toleram e discriminam as crianças também o vão fazer. Portugal tem mentes demasiado pequeninas e por isso existem milhares de crianças abandonadas e privadas da vida feliz que mereciam e que muitos estão dispostos a proporcionar-lhes. Antes de se levantarem para criticar lembrem-se que as crianças que se encontram institucionalizadas foram abandonados ou maltratas por casais heterossexuais. 

A coadoção pode não ser o cenário ideal mas pelo menos é um começo.


Comentários

  1. Continuamos a viver numa sociedade pequenina, com uma mentalidade mesquinha... O mais importante de tudo é o amor, o amor que se pode dar a uma criança, a família que se pode dar a essa criança...se são dois homens, duas mulheres ou um homem ou uma mulher é indiferente...

    ResponderEliminar
  2. Concordo com a última frase! é uma coisa complicada de "processar" até..

    ResponderEliminar
  3. É bom saber que ainda há várias pessoas que são a favor deste assunto :) Obrigada pela tua participação. Beijinhos

    ResponderEliminar

Publicar um comentário

Mensagens populares deste blogue

Relacionamentos: É Amor ou Comodismo?

"O amor é a base de qualquer relacionamento." Existem algumas certezas que sempre me acompanharam durante o meu crescimento.  Uma delas, talvez uma daquelas em que acreditava com mais tenacidade, era que todos os relacionamentos se baseavam em amor. Depois cresci, não muito confesso. Continuo a manter uma certa ingenuidade e a guardar com carinho muitos dos meus sonhos de menina mas, inevitavelmente, a vida acontece, e o mundo que inicialmente era a preto e branco, começa a ganhar diversos tons de cinza. E, com muita tristeza minha, apercebi-me que a grande parte dos relacionamentos não tem por base o amor mas sim o comodismo. Quando ficamos por hábito, por não querer admitir que não resultou, por medo do desconhecido ou, simplesmente, porque não temos coragem de abrir o nosso coração ao desconhecido e tentar outra vez. Existem avisos, sempre, mesmo quando queremos negar ou preferimos não encarar a dura verdade.  Quando os gestos de carinho são inexistentes. Quando qualquer m

Mais de 1500.

Imagem de Deathtostock Mais de 1500 publicações, 1507 se quisermos levar a precisão ao extremo. Mais de 1500 opiniões, parvoíces, textos, frases, imagens e idiotices. Não posso dizer que estou surpreendida pelo número de publicações visto que, quando criei este blogue fi-lo com o objetivo de criar algo duradouro, algo que me acompanhasse, crescesse e evoluísse comigo. O que me surpreende são vocês. Vocês, que começaram a ler e gostaram. Vocês, que despendem de um pouco do vosso dia para apoiar, criticar ou dar a vossa opinião. Vocês, que continuam a voltar dia após dia mesmo quando as actualizações são raras. A todos vocês muito obrigado.

Decisões de Menina Crescida.

Tenho a oportunidade de me envolver numa empresa que me irá dar alguma estabilidade e, a longo prazo, uma carreira profissional sólida. No entanto é necessário realizar um investimento inicial que, neste caso, iria envolver todas as minhas economias.  A verdade é que tenho algum receio. O que para a maioria das pessoas envolvidas no negócio pode ser um valor insignificante, para mim abrange praticamente a totalidade do capital que tenho disponível e não consigo deixar de me sentir insegura e algo ansiosa. Detesto a sensação de ficar financeiramente desprotegida, ainda que por pouco tempo. Tenho que tomar uma decisão até dia 25 e espero decidir pelo melhor mas, muito honestamente, não faço a menor ideia do que devo fazer.