Avançar para o conteúdo principal

(Outra vez) O reforço do guarda-roupa.

Gosto do meu trabalho mas esta necessidade de ir sempre toda pipi anda a desgraçar a minha conta bancária. As peças que comprei no verão serviram o seu propósito mas, apesar de giras e adequadas, já estão arrumadinhos à espera que chegue o tempo quente e, com a chegada deste frio glacial, chegou também a necessidade de fazer uma maratona de compras intensiva em busca das peças de Inverno mais adoráveis e sofisticadas para virem laurear comigo para o banco. Fim do mês, por favor chega de pressa.

Comentários

  1. ahhhh pois, vida de trabalhador +e assim, particularmente no setor terciário... confesso que não sei como vai ser quando for eu =P

    xoxo

    ResponderEliminar
  2. Quando se começa a trabalhar assim é mesmo uma necessidade :/


    *Beijinhos*
    Caty<3
    http://myfairytale4.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  3. Também ando a precisar de umas pesas novas!
    Beijinhos

    http://princesamae.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  4. É o salto que é preciso dar... depois de reformares o armário todo pronto, que já de si é um investimento brutal porque o mundo não acha que o pessoal sem muito money deva ficar todo fancy... depois é só manutenção. Menos mal!!

    ResponderEliminar
  5. Eh pá eu acho isso que às vezes complica mesmo :S
    Eu tenho sorte de que no trabalho não preciso de ir toda pipi, mas se não, estava tramada ao cubo !!!

    ResponderEliminar
  6. AMEI o teu cantinho e começei a passar pelo mesmo que tu.. e no que toca a roupa apetece sempre mais e mais :)) se puderes segue também, ainda sou muito novata, mas prometo contar também as minhas aventuras :)

    bainspiration.blogspot.com

    ResponderEliminar

Publicar um comentário

Mensagens populares deste blogue

Relacionamentos: É Amor ou Comodismo?

"O amor é a base de qualquer relacionamento." Existem algumas certezas que sempre me acompanharam durante o meu crescimento.  Uma delas, talvez uma daquelas em que acreditava com mais tenacidade, era que todos os relacionamentos se baseavam em amor. Depois cresci, não muito confesso. Continuo a manter uma certa ingenuidade e a guardar com carinho muitos dos meus sonhos de menina mas, inevitavelmente, a vida acontece, e o mundo que inicialmente era a preto e branco, começa a ganhar diversos tons de cinza. E, com muita tristeza minha, apercebi-me que a grande parte dos relacionamentos não tem por base o amor mas sim o comodismo. Quando ficamos por hábito, por não querer admitir que não resultou, por medo do desconhecido ou, simplesmente, porque não temos coragem de abrir o nosso coração ao desconhecido e tentar outra vez. Existem avisos, sempre, mesmo quando queremos negar ou preferimos não encarar a dura verdade.  Quando os gestos de carinho são inexistentes. Quando qualquer m

Mais de 1500.

Imagem de Deathtostock Mais de 1500 publicações, 1507 se quisermos levar a precisão ao extremo. Mais de 1500 opiniões, parvoíces, textos, frases, imagens e idiotices. Não posso dizer que estou surpreendida pelo número de publicações visto que, quando criei este blogue fi-lo com o objetivo de criar algo duradouro, algo que me acompanhasse, crescesse e evoluísse comigo. O que me surpreende são vocês. Vocês, que começaram a ler e gostaram. Vocês, que despendem de um pouco do vosso dia para apoiar, criticar ou dar a vossa opinião. Vocês, que continuam a voltar dia após dia mesmo quando as actualizações são raras. A todos vocês muito obrigado.

Decisões de Menina Crescida.

Tenho a oportunidade de me envolver numa empresa que me irá dar alguma estabilidade e, a longo prazo, uma carreira profissional sólida. No entanto é necessário realizar um investimento inicial que, neste caso, iria envolver todas as minhas economias.  A verdade é que tenho algum receio. O que para a maioria das pessoas envolvidas no negócio pode ser um valor insignificante, para mim abrange praticamente a totalidade do capital que tenho disponível e não consigo deixar de me sentir insegura e algo ansiosa. Detesto a sensação de ficar financeiramente desprotegida, ainda que por pouco tempo. Tenho que tomar uma decisão até dia 25 e espero decidir pelo melhor mas, muito honestamente, não faço a menor ideia do que devo fazer.