Avançar para o conteúdo principal

Como explicar a homossexualidade a uma criança de 7 anos?

A minha Beatriz anda numa fase "The Voice - Austrália". Eu sou fã do programa, especialmente deste que o Ricky Martin é treinador, e a minha pequenita gosta muito de ver o programa comigo. Músicas e danças é com ela.
Claro que, ao acompanhar o programa, desenvolveu um "amor" pelo Ricky e uma "paixoneta" por um dos gémeos dele (não me perguntem qual mas a miúda sabe sempre distingui-lo do outro).
Isto tudo para dizer que, no sábado, a princesa perguntou se podia utilizar o meu computador para ir ao youtube procurar músicas do Ricky Martin.
Ok. Por mim tudo bem. Então lá fiquei perto dela a fazer as minhas coisas para puder ir lançando um olhinho às pesquisas da menina. Estava tudo na paz dos anjos quando de repente:
"-Bá! Quem é este senhor com o Ricky Martin?"
E eu a pensar "Ora bolas! Agora é que me lixas-te!". Lá foi obrigada a ponderar, muito rapidamente, se deveria dizer a verdade ou inventar um esquema inofensivo qualquer.
Optei por dizer a verdade não fosse ela encontrar alguma coisa então pesquisava as músicas no youtube.com ou ouvir comentários menos próprios de alguém e depois deixar de confiar em mim e, consequentemente, deixar de vir ter comigo quando tivesse alguma dúvida e então lá larguei a bomba.
"- É o namorado do Ricky..."
"- O namorado?! Mas ele é gay?!"
Eu nem sabia que a miúda já sabia o que era ser gay!
"-É..."
"-Isso é estranho."
"-Então já não gostas do Ricky?"
"-Claro que gosto mas é estranho!"
"-É diferente mas nós temos de gostar das pessoas pelo que elas são. Se são boazinhas e amigas não interessa de quem é que elas gostam desde que não façam mal aos outros não achas?"
"-Sim mana. Tens razão."
E pronto, pensei que o assunto estivesse arrumado e até estava contente por já ter tratado da situação e de ela ter reagido bem e ter aceite que existem pessoas diferentes. Até que...
"-Mana! Mas o Ricky tem dois bebés"
HELP ME GOD!
Nada escapa a esta miúda! Achei que ter tratado da questão da homossexualidade assim por alto já tinha sido um grande passo mas, com 7 anos, não tem, na minha opinião, idade para ouvir falar sobre barrigas de alugues portanto aqui, confesso, menti.
"-Tem porque o Ricky antes tinha namoradas"
"-Mas como é que é isso? Gostava de meninas e agora gosta de meninos?"
"-Porque ele tinha vergonha de dizer que gostava de meninos porque, às vezes, as outras pessoas são más e gozam com os outros por serem diferentes. Quando te contei também disseste que era "estranho"."
Eis que a princesa fica um bocadinho envergonhada e depois diz:
"-Mas não deviam gozar. O que interessa é serem bonzinhos. Eu vou gostar sempre do Ricky e não vou gozar com ninguém."
E pronto, fiquei orgulhosa do meu momento e da minha irmãzinha! Pelos menos já sabe e não tem de ouvir da boca de miúdos da idade dela, que por vezes conseguem ser muito maldosos, e, na grande maioria das vezes nem sabem do que estão a falar.
No dia seguinte contei a mamã e obtive aprovação pela forma como lidei com a situação. YES!
Espero que a miúda não me venha falar de barrigas de aluguer daqui a umas semanas...
Não tenho qualquer problema com a homossexualidade mas as barrigas de aluguer fazem-me um bocado de confusão para ser sincera...
Quero que a minha irmã cresça para ser uma adulta boa, tolerante e meiga e não mesquinha, má e preconceituosa e espero que ao ser sincera com ela, dentro dos limites razoáveis da idade, isso a ajuda a formar as opiniões dela e a ser mais tolerante com todo o tipo de diferenças.

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Relacionamentos: É Amor ou Comodismo?

"O amor é a base de qualquer relacionamento." Existem algumas certezas que sempre me acompanharam durante o meu crescimento.  Uma delas, talvez uma daquelas em que acreditava com mais tenacidade, era que todos os relacionamentos se baseavam em amor. Depois cresci, não muito confesso. Continuo a manter uma certa ingenuidade e a guardar com carinho muitos dos meus sonhos de menina mas, inevitavelmente, a vida acontece, e o mundo que inicialmente era a preto e branco, começa a ganhar diversos tons de cinza. E, com muita tristeza minha, apercebi-me que a grande parte dos relacionamentos não tem por base o amor mas sim o comodismo. Quando ficamos por hábito, por não querer admitir que não resultou, por medo do desconhecido ou, simplesmente, porque não temos coragem de abrir o nosso coração ao desconhecido e tentar outra vez. Existem avisos, sempre, mesmo quando queremos negar ou preferimos não encarar a dura verdade.  Quando os gestos de carinho são inexistentes. Quando qualquer m

Mais de 1500.

Imagem de Deathtostock Mais de 1500 publicações, 1507 se quisermos levar a precisão ao extremo. Mais de 1500 opiniões, parvoíces, textos, frases, imagens e idiotices. Não posso dizer que estou surpreendida pelo número de publicações visto que, quando criei este blogue fi-lo com o objetivo de criar algo duradouro, algo que me acompanhasse, crescesse e evoluísse comigo. O que me surpreende são vocês. Vocês, que começaram a ler e gostaram. Vocês, que despendem de um pouco do vosso dia para apoiar, criticar ou dar a vossa opinião. Vocês, que continuam a voltar dia após dia mesmo quando as actualizações são raras. A todos vocês muito obrigado.

Decisões de Menina Crescida.

Tenho a oportunidade de me envolver numa empresa que me irá dar alguma estabilidade e, a longo prazo, uma carreira profissional sólida. No entanto é necessário realizar um investimento inicial que, neste caso, iria envolver todas as minhas economias.  A verdade é que tenho algum receio. O que para a maioria das pessoas envolvidas no negócio pode ser um valor insignificante, para mim abrange praticamente a totalidade do capital que tenho disponível e não consigo deixar de me sentir insegura e algo ansiosa. Detesto a sensação de ficar financeiramente desprotegida, ainda que por pouco tempo. Tenho que tomar uma decisão até dia 25 e espero decidir pelo melhor mas, muito honestamente, não faço a menor ideia do que devo fazer.